segunda-feira, 18 de junho de 2018

Evento público em Belém vai receber propostas para a consolidação do Plano Nacional de Combate à Corrupção

Inscrições já estão abertas
enccla.jpg

​Arte: Ministério da Justiça


Estão abertas as inscrições para o evento público que a Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla) vai realizar no próximo dia 26 em Belém para discutir com a sociedade propostas para a consolidação do Plano Nacional de Combate à Corrupção.

Os participantes devem apresentar sugestões concretas de enfrentamento à corrupção em um dos eixos da Enccla – prevenção, detecção ou punição – para o enfrentamento aos crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro.

Para participar basta realizar a inscrição neste link
.

As propostas recebidas serão validadas pelo grupo de trabalho da Ação 1/2018 da Enccla e utilizadas como base para a construção do Plano Nacional de Combate à Corrupção. Ao final do ano, em novembro, o Plano será apresentado e aprovado na Reunião Plenária da Enccla.

Saiba mais sobre a Enccla.

Serviço:

Evento Público Regional – Norte – Belém-PA
Ação 1/2018 da Enccla - Plano Nacional de Combate à Corrupção

Data: Terça-feira, 26/06/2018

Local: Ministério Público do Estado do Pará

Auditório Nathanael Farias Leitão, Edifício Sede do Ministério Público do Estado do Pará

Rua João Diogo, 100 - Cidade Velha – Belém/Pará

Faça aqui sua inscrição


Inscrições gratuitas. Vagas limitadas à lotação do auditório.


(Com informações do site do Ministério da Justiça)

MPF e MPPA investigam denúncia de novos vazamentos na refinaria Hydro Alunorte, em Barcarena (PA)

Os integrantes da força-tarefa ​do Ministério Público ​notificaram a empresa para que preste esclarecimentos em até 48 horas

O Ministério Público recebeu por volta das 14 horas desta quinta-feira (14) uma denúncia de que estavam ocorrendo novos vazamentos na área do Depósito de Rejeitos Sólidos n° 2 (DRS-2) da refinaria de alumina Hydro Alunorte, em Barcarena (PA), e de que inclusive estaria ocorrendo uma movimentação de maquinário no local.

A partir disso o Ministério Público requisitou à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Semas), à Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), ao Centro de Perícias Renato Chaves, ao Instituto Evandro Chagas (IEC) e aos técnicos do Grupo de Apoio Técnico Interdisciplinar (Gati) que fossem ao local constatar a situação.

Os técnicos foram imediatamente ao local e, ao chegarem à área, constataram que estava realmente ocorrendo uma intervenção da empresa com maquinário na área de intervenção do DRS-2.

Foram coletadas pelo IEC amostras de água para análise, pois existia uma área bastante inundada.

A situação será verificada e, se confirmado atentado à decisão judicial em vigor, levada ao Judiciário.

Os integrantes da força-tarefa notificaram a empresa Hydro para que preste esclarecimentos em até 48 horas.

Polícia ameniza e investiga mortes de PMs como latrocínio; 30 assassinados só em 2018

Polícia ameniza e investiga mortes de PMs como latrocínio; 30 assassinados só em 2018 (Foto: Reprodução)
Os policiais Silnei Ferreira Mendonça e Kenny Danilo Gusmão foram assassinados na noite do último sábado (16). (Foto: Reprodução) 
 
O número assustador de 30 policiais assassinados somente este ano em Belém chegou na noite do último sábado (17), onde pelo menos três casos de violência envolvendo PMs foram registrados.
O PM Silney Ferreira Mendonça foi assassinado na avenida José Bonifácio com a rua dos Mundurucus, no bairro do Guamá, em Belém. Na fuga, um dos criminosos envolvidos na morte do PM entrou em um cemitério e morreu após troca de tiros com a polícia.
A segunda vítima do dia foi o cabo Kenny Danilo Gusmão, segurança do vice-governador do Estado do Pará, Zequinha Marinho. O policial estava dentro do carro com a esposa, no bairro Mangueirão, em Belém, quando foi surpreendido por criminosos. Ele morreu após ser baleado na cabeça.
A principal hipótese de investigação para os dois casos é de latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte, segundo a Polícia Civil, que também não descarta o homicídio.
Ainda de acordo com a PC, em princípio, são casos isolados e nada que indique a ligação entre os dois crimes, até o momento, mas que será necessário aprofundar as investigações.

PMs e familiares vítimas da violência

Também na noite de sábado (16), outro caso aconteceu em Castanhal, nordeste paraense.  A vítima foi a esposa de um militar. De acordo com informações repassadas por policias da área, Aliny Mara estaria tendo uma aula de direção com o marido, quando homens chegaram e anunciaram um assalto. Houve troca de tiros e ela acabou atingida.

30 PMs MORTOS EM 2018
1º - O sargento Wladimir Odylo Giliberti de Matos, 48 anos, foi morto em frente à própria casa, no bairro do Guamá, em Belém.
 
2º - O cabo Richard Farias de Souza, lotado no Batalhão de Polícia Penitenciária (BPoP), foi morto ao reagir um assalto dentro de uma van, na altura do KM 19 da Rodovia BR-316, em 10/01.
 
3º - O sargento João Francisco de Oliveira Lameira, 47 anos, foi assassinado em Castanhal, durante uma abordagem policial, no dia 17/01.
 
4º - O cabo Wagner Santa Rosa, 33 anos, do Comando de Operações Especiais (COE), foi morto durante um treinamento da polícia militar, no Instituto de Ensino de Segurança Pública do Estado (Iesp), em Marituba, em 19/01.
 
5º - O Sargento Eliseu Pojo Rodrigues, 45 anos, do 29º Batalhão de Policiamento Militar, foi assassinado a tiros, no dia 20/01, em Ananindeua.
 
6º - A cabo Rosalva Maria Corrêa de Holanda, 49 anos, foi assassinada a tiros no quintal da própria casa e ainda por dois vizinhos, no dia 30/01, em Ananindeua.
 
7º - O cabo Marcelo Costa de Carvalho, 32 anos, foi morto a tiros depois de uma tentativa de assalto, no dia 09/02, em Ananindeua.
 
8º - O soldado Washington Luiz do Rosário foi morto a tiros depois de uma tentativa de assalto no bairro da Pedreira, em Belém, no dia 10/02.
 
9º - O sargento PM Antônio Daves Martins, 49 anos, estava em uma loja de autopeças no dia 14/02 quando sujeitos se aproximaram de carro e o alvejaram, em Ananindeua.
 
10º - O cabo Jeferson Maciel dos Anjos foi morto a tiros no dia 25/02, durante um atentado contra um suspeito de tráfico de drogas no município de Santa Isabel.
 
11º - O  sargento Reginaldo da Silva Souza estava a serviço, fardado, na praça da Matriz, em Marituba, e foi atingido a tiros de surpresa por assassinos que estavam em um carro do modelo Volkswagen Fox prata, no dia 28/02.
 
12º - O sargento Marinaldo Maia de Souza, 46 anos, foi morto depois de sofrer assalto no bairro do Guamá, em frente da própria casa, em 11/03
 
13º - O cabo Deyvison César Braga de Oliveira, que foi perseguido e morto a tiros, no cruzamento da Avenida Independência com a Rodovia Mário Covas, em Ananindeua, em 11/03.
 
14º - O cabo José da Silva Frade foi assassinado após um assalto dentro de um ônibus, no km 4 da BR-316, em 22/03.
 
15º - O cabo José Antônio Pinheiro, 64 anos, não resistiu as ferimentos provocados por um esfaqueamento e morreu em Marabá. Ele, que estava na reserva, foi atacado na frente da casa onde morava. O suspeito seria um usuário de drogas e foi preso após fugir da Polícia. Crime aconteceu no dia 26 de março.
 
16º - O cabo reformado Valdomiro de Oliveira Bastos, 51 anos, foi atacado em um mercadinho por 4 bandidos, no bairro da Condor, em Belém. Crime foi no dia 27 de março.
 
17º - O subtenente da reserva João Bosco Vieitas de Sousa, 53, foi assassinado na tarde de 1º de abril, no final da quadra 2 do Conjunto Verdejante I, bairro Águas Lindas, Ananindeua.
 
18º - O cabo Hernani Rogério Silva da Costa, lotado no Batalhão de Eventos da PM, foi morto com  um tiro na cabeça no bairro do 40 Horas, em Ananindeua, enquanto retornava para casa após o dia de trabalho. O crime aconteceu em 8 de abril.
 
19º - O cabo Ivaldo Joaquim Nunes da Silva, 49 anos, foi baleado no dia 9 de abril e teve a arma roubada, em Belém.
 
20º - O sargento da reserva da PM Reginaldo foi torturado e executado, em Marituba. O corpo foi desovado no fim da Rua da Cerâmica. Junto com ele, foi morto também o ex-guarda municipal Alexandre Nascimento. Os corpos foram removidos em 23 de abril.
 
21º - Em 29 de abril, a cabo Mária de Fátima foi assassinada dentro da própria casa, no bairro Curuçambá, Ananindeua.
 
22º - O cabo PM Jeferson Rodrigues Gaia, foi assassinado em um bar, no distrito de Icoaraci, no dia 2 de maio.
 
23º - O sargento PM Mourão foi vítima de latrocínio, no conjunto Paar, em Ananindeua.
 
24º - O cabo PM Josias Santos Favacho, vítima de latrocínio na ocupação Olga Benário, bairro Júlia Seffer, Ananindeua, região metropolitana de Belém, em 16 de maio.

25° - O sargento Sebastião Rosário foi assassinado na rua 10 de maio, bairro do Una, em Belém, no dia 22 de maio. Ele levava a esposa para a igreja, de motocicleta, quando foi atingido na cabeça por dois criminosos, que aguardavam sua passagem. O militar morreu no local e os assassinos ainda roubaram a arma que ele portava.

26° - No mesmo dia (22), o 1º sargento da reserva remunerada Elias Brasil Silva, também evoluiu a óbito depois de ser internado por um mês, vítima de um baleamento durante atentado. No dia 21 de abril, ele jogava uma partida de futebol no campo conhecido como Chuveirinho, no bairro Sideral, em Belém, quando homens chegaram em duas motos e, sem levantar suspeitas, fizeram mais de 20 disparos contra quem ali estava. 

27° - No dia 23 de maio, o cabo Giorgio Silva Salame, 38 anos, baleado no dia 9 de maio, morreu no hospital metropolitano e se tornou o 27º PM assassinado no ano. Ele foi baleado no bairro da Marambaia, em Belém, durante uma tentativa de assalto. 

28° - O cabo PM reformado Delson Luis Rodrigues da Silva, 50 anos, voltava do supermercado quando foi executado a tiros em frente à esposa, na Cidade Nova 2, em Ananindeua. Caso ocorreu no dia 6 de junho.
29° - O cabo da PM Silnei Ferreira Mendonça foi morto no último sábado (16), na avenida José Bonifácio com a rua dos Mundurucus, no bairro do Guamá, em Belém. Ele teria sido vítima de um latrocínio.
30° - O cabo Kenny Danilo Lima Gusmão, segurança do vice-governador do Estado do Pará, Zequinha Marinho, foi assassinado também na noite do dia 16 de junho. Ele estava com a esposa dentro do carro no bairro Mangueirão, em Belém. 
(DOL)

Imerys no clima da Copa do Mundo

O futebol é uma paixão que conquista muitos brasileiros desde a infância e que se torna ainda mais empolgante durante a Copa do Mundo. Tamanho sentimento é demonstrado desde o orgulho em vestir a camisa da seleção até a animação para enfeitar as ruas de verde e amarelo. Na Imerys, mineradora que atua com caulim no Estado, o amor pelo esporte inspirou campanha de motivação dos colaboradores na Copa, a iniciativa que ambientou espaços da empresa para a torcida de colaboradores curtir cada momento do torneio.
Todas as unidades da Imerys no Pará receberam um espaço temático para que os colaboradores assistam aos jogos da seleção brasileira. Além do verde e amarelo, tem telão, distribuição de pipoca e refrigerante.  “Tivemos a preocupação de criar locais em que os nossos colaboradores se sintam à vontade e que respeite o meio ambiente. Alinhados com a ODS 12 - Consumo Responsável-, estamos engajados na reutilização e por isso vamos usar baldes para o consumo de pipoca”, explicou Micheline Araujo, gerente de Gestão de Pessoas e Facilities.
Para a assistente de logística Silvana Costa é uma ótima chance de promover a interação entre os colegas de trabalho, que torcerão juntos pela Seleção. “É uma oportunidade boa para torcer pelo Brasil, já que ficamos sediados em Barcarena e não tem como chegar em casa há tempo para assistir”, comemora ela.
O assistente de logística Ronaldo Medeiros conta que esperou quatro anos pela Copa e está feliz que não perderá um jogo. “Sem dúvida é muito importante que cada colaborador tenha um ambiente para acompanhar os jogos, pois trabalhamos mais animados”, conta ele.

Sustentabilidade verde e amarela

A sustentabilidade também teve espaço na programação da Copa, com as alunas de empreendedorismo sustentável da Casa Imerys, maior projeto social da mineradora no Pará. Joana Barreto esteve na área que foi montada na unidade de Barcarena vendendo camisas temáticas do Brasil. “Algumas coisas eu já produzia, mas as aulas me deram mais noções de execução e acabamento que usei nos produtos da Copa do Mundo. A experiência está sendo ótima”, avalia.
O curso colaborara no incremento da renda familiar das participantes. É o caso de Bruna Paixão, dona de casa, que está participando do curso de artesanato e se identificou muito com a oficina de personalização de tiaras. “Estou gostando muito do curso. É uma renda extra para mim porque estou desempregada. As tiaras e lacinhos de cabelo com o tema da Copa são os que mais estão saindo agora”, explica Bruna que chega a ganhar R$ 100,00 por semana com a venda do artesanato que ela mesma produz.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Relator da CPI avalia os primeiros 30 dias de ação da Comissão

Foto:Ozéas Santos

Sete deputados membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura os danos ambientais na bacia hidrográfica do rio Pará visitaram as dependências da empresa Hydro Alunorte em Barcarena, 21 depoimentos já foram colhidos, além de laudos, exames de instituições de pesquisas e de ensino de referência nacional e até mundial já se constituem em trabalho realizado pela CPI. Os trabalhos começaram depois do vazamento de efluentes produzidos pela empresa Hydro Alunorte em fevereiro e atestado por laudos do Instituto Evandro Chagas.

A CPI composta de sete deputados titulares e mais sete suplentes tem um prazo de noventa dias, podendo ser prorrogada por mais 30 dias, para apresentar um relatório com suas conclusões a ser disponibilizado para as instituições do Estado e da justiça, por meio do Ministério Público.
“Neste primeiro mês de instalada a CPI, através de seus membros, tem ouvido testemunhas, vítimas e representantes de órgãos que fazem regulação da questão ambiental do Estado”, disse o deputado Celso Sabino, relator da CPI, instalada no último dia 20 de março e presidida pelo deputado Coronel Neil.

Para o relator, as informações colhidas até aqui são preocupantes, com indícios fortes de prática de crimes ambientais reiterados. “Estes crimes tem causado severas poluições ao meio ambiente da região de Barcarena, influenciando em populações que antes viviam uma realidade e hoje vivem outra”, informou.

Sabino contou que pesquisadores do Instituto Evandro Chagas conseguiram comprovar que elementos químicos contidos na bacia de rejeitos da Hydro foram também encontrados no leito do Rio. “Conclusão esta retirada após a coleta e análise da água na bacia de rejeitos, na saída da empresa, no caminho até a nascente do rio Murucupi, na nascente do rio Murucupi e dentro do rio. Encontraram os mesmos metais com as mesmas características”, informou o relator. “Constituindo uma assinatura química dos produtos encontrados nas coletas”, concluiu.

Segundo pesquisa realizada do Instituto Evandro Chagas, foram identificados elementos na coleta da água, como chumbo, cobre, alumínio e outras substâncias químicas e que, por sua vez, foram também encontrados nos organismos das pessoas que vivem na região, identificadas por meio de coleta e análises de fios de cabelo pelo Laboratório de Química Analítica e Ambiental da UFPA.

Médicos e técnicos em saúde pública, ouvidos pela CPI, apontam que a presença de chumbo com taxas acima do considerado padrão pode causar câncer, doenças neurológicas e outras enfermidades.
“Há depoimentos que informam que há famílias inteiras que foram acometidas com doença mental naquela região. Inclusive, por exemplo, a família da atriz Tainá, cuja a mãe foi diagnosticada com problemas mentais. Foi encontrado em seu organismo a presença de sete tipos de metais pesados após análise e exames de sangue em laboratório de São Paulo”, informou Celso Sabino.

Em uma outra testemunha, moradora das comunidades do entorno da empresa norueguesa, foram encontrados, nos exames, um índice de alumínio 19 vezes maior que  a média encontrada na região. O alumínio, segundo os médicos, pode causar muitos problemas a saúde, principalmente problemas renais. “Na comunidade em que a testemunha mora há um grande índice de pessoas que foram e que são acometidas com problemas nos rins”, informou o relator.

O deputado Celso Sabino explica que as investigações estão procurando traçar um elo. “Identificando o possível crime ambiental, o possível autor das infrações e a sua efetiva ligação, o laço de casualidade entre a conduta ou a omissão e o fato ocorrido”, disse.

Ele por sua vez informou que estas impressões são baseadas nos fatos testemunhados na CPI até o presente momento. “Não quero fazer nenhum prejulgamento e emitir nenhum juízo, até porque iremos ouvir ainda as empresas envolvidas, além da Hydro Alunorte, vamos ouvir a empresa Bunge - uma empresa multinacional de agronegócio e alimentos - citada em depoimento, a Imerys, que trabalha com caulim, e outras empresas do polo industrial”. Ele informou ainda que todos os órgãos ambientais estatais envolvidos através de seus representantes serão ouvidos.

Texto: Carlos Boução

NOTA MPF e MPPA

O Ministério Público recebeu ontem à tarde, por volta das 14h, uma denúncia de que estavam ocorrendo novos vazamentos na área do DRS-2 da empresa Hydro Alunorte em Barcarena e que inclusive estaria ocorrendo uma movimentação de maquinário no local.

A partir disso o Ministério Público requisitou à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Semas), à Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), Centro de Perícias Renato Chaves, Instituto Evandro Chagas (IEC) e aos técnicos do Grupo de Apoio Técnico Interdisciplinar (Gati) que fossem ao local constatar a situação.

Os técnicos foram imediatamente ao local e, ao chegarem à área, constataram que estava realmente ocorrendo uma intervenção da empresa com maquinário na área de intervenção do DRS-2.

Foram coletadas pelo IEC amostras de água para análise, pois existia uma área bastante inundada.

A situação será levada ao conhecimento do Poder judiciário para verificação se, em tese, ocorreu um atentado á decisão judicial em vigor.

Os integrantes da força-tarefa notificaram a empresa Hydro para que preste esclarecimentos em até 48h.

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs