quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Paragominas se prepara para receber espetáculo a céu aberto.


 
Neste domingo, dia 29, a cidade se prepara para o grande espetáculo a céu aberto. Realizado apenas uma vez por ano, e aborda temas de acordo com a realidade de Paragominas, sudeste do estado.


Criada em 1984, a Feira de Integração Cultural (FIC), vai para sua 20ª edição, e envolvem mais de 500 alunos da rede de ensino público e particular da cidade. Eles entram em cena sendo próprios personagens e coreógrafos, através de apresentações teatrais passarão uma mensagem ao público.

Segundo a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer, mais de cinco mil pessoas serão aguardadas para prestigiar o evento. Desta vez, será realizado no palco da praça central da cidade “Célio Miranda”, e abordará o tema: “Paragominas, o verde da esperança”.

O assunto foi escolhido pelo fato da cidade apontar índices esperançosos para que a floresta amazônica continue em pé. Entre as 39 cidades brasileiras que mais devastavam a floresta, Paragominas foi um dos municípios que apontou índices de quem menos desmatou nos últimos vinte meses. Através do Projeto Município verde, iniciativa da prefeitura local. Através de trabalhos de conscientizações para os mais de 100.000 habitantes da cidade, através de campanhas nas escolas, veículos de comunicações, e um pacto assinado entre entidades não governamentais, sindicatos e Prefeitura de Paragominas.

Um exemplo que vem sendo adotado por outros prefeitos de municípios vizinhos a Paragominas.

Durante a FIC, artesões farão exposições de seus trabalhos, que são confeccionados por mais de quinze famílias que hoje sobrevive da renda adquirida realizadas nas vendas. A gastronomia também entrará em cena, comidas típicas do Pará serão ofertadas ao público presente, entre elas o tacacá, vatapá e mingau de milho.

O Sebrae por sua vez, fará exposições micro-empresários e seus produtos, pessoas que saíram da informalidade no setor de artesanato, e hoje, estão exportando para fora de Paragominas.

Entre as apresentações, estará entrando em cena, o Sarau Municipal, estarão se apresentando também os cantores da terra, e palhinhas das apresentações dos vencedores do concurso “Dança Pará 2009”, realizado em Belém.

O evento promete agitar Paragominas e seus turistas com apresentações, e a culinária paraense neste final de semana.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Polícia Civil: Zona Guajarina tem novo superintendente


Após mais de dois anos a frente da Superintendência Regional da Zona Guajarina, com sede em Paragominas, sudeste do estado, o delegado Silvio Maués, deixa a cidade para assumir a Superintendência Regional do Salgado em Castanhal, nordeste paraense.

Silvio Maués realizou junto a sua equipe diversos trabalhos de grande repercussão na mídia paraense. Como a desarticulação do grupo de extermínio no ano de 2007, operações como cadê seu filho, “Nautillus I” e “Nautillus II” onde prendeu mais de 40 traficantes somente este ano.



Ele comandou às delegacias nos municípios:


1.      Aurora do Pará (91-3802-1291);
2.      Dom Eliseu (94-3335-2382);
3.      Ipixuna do Pará (91 - 3811-2373);
4.      Irituia (91 - 3443-1222);
5.      Mãe do Rio (91-3444-1265);
6.      Rondon do Pará (94-3326-1320);
7.      Ulianópolis (91-3726-1176);
8.      Seccional de Paragominas (91-3729-4977)
9.      E Delegacia da Mulher de Paragominas (91-3729-0744 / 3729-4933).
   
O novo superintendente é o delegado José Ricardo de Oliveira, que era titular da Delegacia de Mãe do Rio, nordeste do estado.

Silvio Maués assume a Superintendência do Salgado, comandando às delegacias dos municípios:



1.      Benevides (91-3724-1338);
2.      Benfica (Benevides) (91-3456-8269);
3.      Bujarú (91-3746-1144 / 3746-1131);
4.      Colares (91-3461-7192 / 3461-7238);
5.      Concórdia do Pará (91-3728-1246);
6.      Curuçá (91-3722-1122);
7.      Igarapé-Acú (91-3441-1140 / 3441-1439);
8.      Inhagapi (91-3809-1100 / 3721-1981);
9.      Magalhães Barata (91-3892-5002);
10.  Maracanã (91-3448-1293 / 3448-1336);
11.  Marapanin (91-3723-1184 / 3723-1297);
12.  Quatro Bocas (Tomé-Açú) (91 - 3734-1411);
13.  Santa Izabel do Pará (91-3744-1170);
14.  Santo Antonio do Tauá (91-3775-1446);
15.  São Caetano de Odivelas (91-3767-1247 / 3767-1226);
16.  São Domingos do Capim (91-3483-1408);
17.  São Francisco do Pará (91-3774-1265 / 3774-1271);
18.  São João da Ponta (Responde a delegacia de São Caetano de Odivelas);
19.  Terra Alta (91-3662-1294);
20.  Tomé-Açú (91-3727-1176 / 3727-1531);
21.  Vigia de Nazaré (91-3731-1778);
22.  Seccional de Castanhal (91-3721-1116);
23.  Vila do Apeú (Castanhal) (91-3725-1155)
24.  E Delegacia da Mulher de Castanhal (91 - 3721-1872) 

Bruno Nascimento, de Paragominas. 



Programação da FIC 2009.


Quadrilha de terroristas vai para cadeia.



Após denúncias anônimas para a central de monitoramento do 19º Batalhão de Policia Militar, populares informaram que havia quatro pessoas aterrorizando moradores do próprio bairro, disparando tiros para céu, na invasão Nova Esperança, em Paragominas, sudeste do estado.


Quando viaturas do 19º BPM chegaram as 09h, no último domingo (22), os terroristas ainda permaneciam no local.



Segundo testemunhas, os bandidos estariam com um revolver calibre 38 e um outro 22. Onde começou uma troca de tiros entre PM’s e bandidos, o qual, um dos bandidos de pré-nome Adriano foi baleado. Em meio à confusão, o restante conseguiu também evadir do local. 


Às 13h30, novamente vieram denuncias sobre o esconderijo da quadrilha. Eles estavam em uma residência da própria invasão. Uma equipe comandada pelo tenente Henrique que, contou com reforço de duas viaturas e uma moto, chegaram à casa de Edilene Monteiro Nunes, segundo a policia ali seria um ponto de trafico de drogas, onde foi confirmado realmente o verdadeiro o esconderijo do grupo.

No local foram encontrados: Marcelo dos Santos da Luz; Evanildo Nazareno Cosme Lira; Genilson Monteiro Nunes e Edilene Monteiro Nunes, que tentava se esconder dos policias. Eles também realizavam praticas de assaltos na região.
  
No interior da casa de Edilene foi encontrada um saco com uma quantidade significativa de maconha, oito munições para revolver calibre 32 e três cápsulas deflagradas de munições para calibre 380 e além da quantia de R$ 535,00, que estava no forno de um fogão, provavelmente provenientes por vendas de drogas.

A PM deu voz de prisão aos acusados mediante as denuncias e as provas encontradas no local.

Eles foram encaminhos para a 13ª Seccional de Paragominas, onde o delegado Carlos Magalhães Gomes, os atuou em flagrante por porte ilegal de munições, disparos de armas de fogo, formação de quadrilha, associação e tráfico de drogas. As armas não foram encontradas.  

Bruno Nascimento, de Paragominas.



Pedreiro mata outro por R$ 50,00 e dois sacos de cimento.


Adailton está foragido


O fato ocorreu no domingo (22), no bairro JK, periferia de Paragominas. Os pedreiros Adailton Carneiro, 25, e José Maria Vieira Rocha fizeram o piso numa residência, e segundo avaliação dos clientes, o serviço não ficou como eles esperavam.

A O dono da obra chegou a pedir a devolução do valor de R$50,00 para os pedreiros e mais dois sacos de cimentos. Só que Adailton que teria a quantia e o produto não cumpriu com o combinado.

No domingo, a proprietária do imóvel voltou a procurar José Maria, que por sua vez, procurou Adailton para a futura devolução. A esposa de Zé Maria foi até o local que o outro pedreiro estava trabalhando para uma negociação, mas, não o encontrou.

Após o conhecimento de Adailton sobre o fato, ele procurou Zé Maria em sua residência, e disse que não teria mais como resolver, e começou a agredi-lo com vários golpes de facão, que atingiram sua cabeça, pescoço e costas. A vítima foi encaminhada para o Pronto Socorro Municipal de Paragominas (PSM) que o encaminhou para o Hospital Metropolitano em Ananindeua. Mas, durante a viagem, a vítima não resistiu aos ferimentos.

A Polícia Civil já iniciou as investigações. O caso foi registrado na 13ª Seccional de Paragominas, pelo delegado Carlos Magalhães Gomes, que solicitou a prisão preventiva do acusado.

Bruno Nascimento, de Paragominas. 

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Abertas inscrições!


Estão abertas as inscrições gratuitas para o curso de soldador e calderaria, destinados aos profissionais desempregados que necessitam da qualificação especifica no ramo para o mercado de trabalho.

As inscrições estão sendo realizadas no Sindicato dos Metalúrgicos (Simetal) na rua Padre Viera, numero setenta e quatro, no Centro de Paragominas. No horário 08h às 18h.

Os cursos serão realizados aos finais de semana, com uma carga horária de oitenta horas, na Escola Municipal Amílcar Tocantins, no Jaderlândia.

No final do curso, haverá entrega de certificados o que aumentará as chances de inserções no mercado formal de trabalho.

Telefone: (091) 3729 4606 – Vagas limitadas.

Organizador: Teberací Albuquerque.

       

Mulher sem identificação continua a procura de parentes ou amigos




Esta senhora de nome ainda não identificada encontra-se temporariamente no Aconchego do Idoso, programa da Prefeitura de Parauapebas. Ela foi encontrada no dia 3 de julho, à noite, perto dos trilhos do trem, entre as vilas Palmares I e II, por seguranças de empresa prestadora de serviço da Vale. A mulher aparenta ter entre 35 e 40 anos, 1,60 de altura, morena de cabelos caracolados e foi encontrada descalça sem nenhum documento e não tinha destino e nem fala muito sobre sua vida.

Até o momento, ela se encontra calma, dorme tranquilamente, se alimenta bem e recebe atendimento necessário na instituição da prefeitura de nome Aconchego do Idoso.
Alguém que seja parente ou conhece esta senhora pode entrar em contato na av. Cristo Rei nº 82, bairro Rio Verde, ou pelo fone (94): 3346-7263.

Deicharles Damascena, de Parauepebas.

Justiça Federal obriga Susipe transferir presos da Seccional de Paragominas.




Após as prisões realizadas de dezesseis homens na última terça-feira (17), onde eles estavam desmatando na área da Reserva dos Tembés em Paragominas, sudeste do estado, o qual foram encaminhados para 13ª Seccional do município e atuados em flagrante por crimes contra o meio ambiente e formação de quadrilha, a Subseção da Justiça Federal de Castanhal, nordeste do estado, manteve o flagrante e o pedido de prisão pelo delegado Carlos Magalhães Gomes.

Após uma força conjunta que envolveu as policias civil e militar de Paragominas, para transferir os presos na última quinta-feira (19) para o Centro Regional de Recuperação de Paragominas (CRRP) que está em intervenção estadual, após denuncias feitas pelo Ministério Público Estadual em Paragominas, a direção se recusou a receber os presos, o motivo seria a lotação que está acima do limite.

O CRRP que tem capacidade para receber apenas 156 detentos, conta com atualmente 219 presos de justiça. Nos últimos três meses, seis deles conseguiu fugir pela porta da frente.
O delegado Carlos Magalhães, fez um comunicado para a Justiça Federal em Castanhal, nordeste do estado, a 200 km de Paragominas, sudeste paraense, sobre a não transferência dos 16 presos que ainda estão na carceragem da 13ª Seccional de Paragominas, o qual tem capacidade para receber apenas cinco presos, e, atualmente conta com 19.

Por sua vez, à juíza Hind Ghosson Kayath, da 2ª Vara Federal da Subseção de Castanhal, expediu um comunicado para o Superintendente do Sistema Penal (Susipe) determinando a adoção de providencias urgentes necessárias para transferência dos presos para o sistema penitenciário.


“A minha preocupação é que a Susipe não fornece alimentação para esses presos. As famílias de alguns é quem trazem, e, eles dividem entre o eles.”, desabafou o delegado Carlos Magalhães.


A nossa reportagem tentou entrar em contato com o CRRP, mais ninguém foi encontrado para falar sobre o assunto.

Bruno Nascimento, de Paragominas. 

sábado, 21 de novembro de 2009

Homem é executado em Paragominas.



O crime ocorreu no bairro Jardim Bela Vista, área periférica de Paragomins, sudeste do estado. Quando homens não identificados sacaram duas armas por volta 22h45 da quinta-feira, e começaram disparar tiros certeiros contra o autônomo Antonio Marcos Irene dos Santos, 28 anos, que estaria em umas das principais avenidas do bairro. 

Segundo a esposa da vítima, Antonia Rosineia de Pinho Corpes, ela declarou a policia que desconhecia que Antonio Marcos tivesse algum rival em Paragominas. Ele que também foi candidato a vereador nas últimas eleições de 2008 no município. 

A vitima também era irmão de José Marques dos Santos, conhecido por “Zé Porção” que foi executado a tiros no ano passado, supostamente por um grupo de extermínio desarticulado em junho de 2008 pelo titular da Superintendência Regional da Zona Guajarina (SRZG), Silvio Maués.

A policia abriu um inquérito para apurar quem seria os executores de Antonio Marcos. Ele também não teria passagem alguma pela delegacia do município. 

Segundo testemunhas que estavam no local, foram mais de 15 tiros contra a vitima. 

O corpo foi levado pela própria família para o Centro de Perícias Cientificas “Renato Chaves” em Castanhal, nordeste do estado, a 200 km de Paragominas. 

O caso foi registrado na 13ª Seccional de Paragominas, pelo delegado Carlos Magalhães Gomes.

Bruno Nascimento, de Paragominas. 

Falta de vagas em presídio super lota cadeia da Seccional de Paragominas.




Após apreensões realizadas na última terça-feira (17) pelas Policias Civil e Militar de Paragominas, sudeste do estado, onde conseguiu prender em flagrante uma quadrilha de dezesseis madeireiros que extraiam árvores de reserva indígena Tembé no auto Rio Guamá.
No total 25 pessoas foram presas, entre eles, um adolescente de 15 anos. Durante o comboio montado para  transferir os presos da reserva indígena dos Tembés, cerca de 200 km de Paragominas, nove conseguiram fugir, entre eles o menor. Restando apenas 16 que foram apresentados na 13ª Seccional de Paragominas, para o delegado titular da Superintendência Regional da Zona Guajarina (SRZG), Silvo Maués, que os autuou em flagrante por crimes contra o meio ambiente e formação de quadrilha.


Eles permaneceram na carceragem de Paragominas, enquanto esperava-se a decisão judicial da justiça de Castanhal a 200 km de Paragominas. As 15h da quinta-feira, por via fax, foram expedidas pelo juiz José Valteson Lima, ofícios que manteve as prisões realizadas.

A quadrilha foi encaminhada para o Hospital Municipal de Paragominas (HMP) para corpo delito, em seguida, em quatro viaturas foram encaminhados para o Centro Regional de Recuperação de Paragominas (CRRP). Ao chegar no CRRP que está sobre intervenção estadual, após denuncias realizadas pelo Ministério Público do Estado (MPE), não aceitaram os 16 presos. Fazendo com que voltasse para a carceragem da 13ª Seccional de Paragominas. Ela que tem capacidade de receber apenas cinco detentos, está atualmente com dezoito presos, sendo que dezesseis são de justiça federal.
 

O titular da Superintendência Regional da Zona Guajarina, encaminhou um comunicado sobre o fato para a Delegacia de Policia do Interior (DPI) para que o mesmo emitisse um oficio para o Núcleo de Administração Penitenciária, para que consiga vaga em outras casas penais no estado. 

Bruno Nascimento, de Paragominas. 

Policia prende mais de 400 metros cúbicos de madeiras serradas.




Após denuncias dos indígenas da aldeia Tembé, em Paragominas, sudeste do estado, Policiais Civis e Militares foram ao local constatar a devastação feita por madeireiros ilegais que atuavam na derrubada da madeira de forma clandestina. Eles aproveitaram os setes dias de realização dos jogos dos Povos Indígenas, desta vez realizados no município para fazer o desmatamento.
Após a ida de dez policias ao local, encontraram dois moto serras, seis caminhões, duas espigadas, munições, e mais de R$ 1500.00 em espécie. Além de 25 pessoas foram presas em flagrante, entre eles, um adolescente de 15 anos. Durante o comboio montado pelas policias para as transferências dos presos para a sede do município, nove deles, conseguiram fugir.
Na quarta-feira homens do Batalhão de Policia Ambiental, técnicos da SEMA foram até o local, juntamente com técnicos do Ibama e Policia Rodoviária Federal (PRF).
Ao meio dia de ontem, as equipes dava a operação já por encerrada. Onde foram apreendidos mais três caminhões carregados de toras prontas para serem serradas, além de dois veículos de passeio.
Segundo o analista técnico do IBAMA, Alex Lacerda, a operação apreendeu mais de 100 metros cúbicos de madeiras serradas que seria comercializada nas serrarias da região de Paragominas. Entre as árvores estavam às espécies de maçaranduba, currupixá e cupuíba.
A equipe montou um ponto base no posto da Policia Rodoviária Federal em Ipixuna do Pará, nordeste do estado, nas barreiras policiais conseguiram prender em flagrante mais um caminhão carregado de madeira, sem o Documento de Origem Florestal (DOF), que teria destino à Madeireira Ipixuna Ltda., na altura no km 88 na Rodovia Belém-Brasília (BR-010). Ao fiscalizarem a serraria, eles não apresentaram nenhum documento sobre a madeira, o qual foi aplicado uma multa no valor de R$ 78.500,00 para o proprietário José Airton.
No total foram apreendidos mais de 400 metros de madeiras serradas que veio da aldeia indígena dos Tembés, no auto Rio Guamá. Toda operação será encaminhado um relatório para o Ministério Publico Federal (MPF) em Belém. Toda carga será encaminhada para Pirelli na Região Metropolitana de Belém (RMB).  

Bruno Nascimento, de Paragominas. 

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Quadrilha que desmatava em terras indígenas vai para o presídio.





Após apreensões realizadas na última terça-feira (17) pelas Policias Civil e Militar de Paragominas, onde conseguiu prender em flagrantes dezesseis madeireiros que extraiam árvores de reserva indígena Tembé no auto Rio Guamá. Eles foram autuados em flagrante por crimes contra o meio ambiente e formação de quadrilha.

No total 25 pessoas foram presos, entre eles, um adolescente de 15 anos. Durante o comboio montado para  transferir os presos da reserva indígena dos Tembés, cerca de 200 km de Paragominas, nove conseguiram fugir. Restando apenas 16 onde foram apresentados na 13ª Seccional de Paragominas, para o delegado titular da Superintendência Regional da Zona Guajarina (SRZG), Silvo Maués, que os autuou em flagrante por crimes contra o meio ambiente e formação de quadrilha.

Após acusados serem ouvidos, foi encaminhado um relatório para a Subseção da Justiça Federal de Castanhal, nordeste do estado.

Eles permaneceram na carceragem de Paragominas, enquanto esperava-se a decisão judicial da justiça de Castanhal a 200 km de Paragominas. As 15h de ontem, por via fax, foi expedido pelo juiz José Valteson Lima, um oficio que manteve as prisões realizadas.

A quadrilha foi encaminhada para o Hospital Municipal de Paragominas (HMP) para corpo delito, em seguida, em quatro viaturas foram encaminhados para o Centro Regional de Recuperação de Paragominas (CRRP).

Homens do Batalhão de Policia Ambiental de Belém e técnicos da SEMA voltaram para o local, na esperança de prender o restantes dos madeireiros clandestinos. A carga apreendida com madeiras serrada foi encaminhada para  sede do Ibama na capital.

Bruno Nascimento, de Paragominas.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

AUTORIDADES VOLTAM À RESERVA INDÍGENAS DOS TEMBÉNS NO AUTO RIO GUAMÁ


Hoje pela manhã homens da Policia Federal, Policia Rodoviária Federal (PRF) e Ibama se deslocaram para a reserva indígena dos Tembés no auto Guamá em Paragominas, sudeste do estado. Juntamente com eles, homens do Batalhão de Policia Ambiental e técnicos das Secretarias Estadual e Municipal de Meio Ambiente.

Toda essa mobilização foi provocada após índios Tembés denunciarem a derrubada da madeira na reserva indígena de mais de 270 hectares. Os madeireiros aproveitaram a saída dos índios para as competições da décima edição dos Jogos Indígenas, que duraram sete dias em Paragominas.

O Ibama divulgou através de nota que pretende trazer para a sede do órgão em Belém, todo o material apreendido durante a ida deles na aldeia. Além dos caminhões que eram transportados para a cidade pelas policias Civil e Militar, que ficaram pelas estradas carregadas de madeiras serradas. Após apresentarem defeitos na parte mecânica, eles ficaram nas estradas que dão acesso ao assentamento Paragonorte, cerca de 100 km de Paragominas.      

Segundo informações, policiais e técnicos não têm previsão de retorno para a sede do município. Quanto aos 16 homens que foram atuados em flagrante por formação de quadrilha e crimes contra o meio ambiente, pelo Superintendente Regional da Zona Guajarina (SRZG) Silvio Maués, continuam na carceragem de Paragominas, até que saia a decisão da Justiça Federal de Castanhal, nordeste do estado. 

Bruno Nascimento, de Paragominas.




Quadrilha de desmatamento ilegal é presa em Paragominas.



Após denuncia dos índios, vinte e cinco homens foram presos na madrugada de terça feira, na reserva indígena Tembé, em Paragominas sudeste do estado. Eles aproveitaram os sete dias da realização da décima edição dos Jogos dos Povos Indígenas desta vez foi sediado na cidade.


A etnia que faz divisa com os municípios de Paragominas e Nova Esperança do Piriá, possue mais de 1.300 índios e mais 270 hectares de floresta nativa. A quadrilha aproveitou a falta dos mesmos para realizar a extração da madeira de forma ilegal. Como é de rotina caçar para se alimentar, os índios saíram para pescaria e caçar, quando perceberam a presença de devastadores na floresta. Eles voltaram para a aldeia e comunicaram o cacique Sergio Tembé sobre o ocorrido.

Uma estratégia foi criada pelos próprios índios para prender os caminhões carregados de madeiras, além dos motoristas e seus ajudantes. Enquanto isso, o cacique se deslocou até a cidade para comunicar as autoridades policiais sobre o desmatamento da floresta que é preservada por lei.

Dez homens, sendo, sete PM’s, e três investigadores da Policia Civil foram até o local. As estradas de difíceis acessos eram umas das maiores dificuldades para se chegar à aldeia.
 
Após 156 km percorridos, os rastros de destruições eram por toda parte. Madeiras derrubadas e serradas, prontas para serem levadas às madeireiras clandestinas da região.
 
A reportagem chegou juntamente com a policia, a um local onde os índios havia presos os caminhões. Logo, foram encontrados nove homens, entre eles, o motorista, um dos principais, ele quem realiza a locomoção da madeira.

Ao serem interrogados sobre quem seria o “cabeça”, todos preferiram manter-se em silencio. Em seguida um plano emergencial teve que ser traçado para capturar o restante da quadrilha em plena madrugada.
A cada hora iam chegando pessoas que diziam ser trabalhadores no ramo extrativista da madeira. Ao amanhecer, já somavam 25 homens presos, entre eles um adolescente de apenas 15 anos.

Ao percorrer as estradas vicinais, os investigadores Paulo Henrique e Marileno, encontraram um barraco feito com lona, com quatros operadores de moto serras, e foi dada voz de prisão em flagrante. 

Após a “varredura” foram encontradas duas motos serras, duas espigadas com munições, seis motos, mais de R$ 1.500,00 em espécie, segundo os madeireiros eram para agradar os indígenas para a liberação dos caminhões que estavam com mais de cinqüenta metros cúbicos de madeiras serradas em extinção. O valor da carga apreendida é de aproximadamente de R$ 4.800,00. Todos os motoristas não tinham habilitação.


Um comboio foi montado para a transferência da quadrilha para Paragominas. Porém, alguns conseguiram fugir ao serem transportados, fazendo com que apenas 16 chegassem ao prédio da 13ª Seccional de Paragominas, onde todos foram atuados em flagrante por formação de quadrilha, e crimes contra o meio ambiente, pelo superintendente da Zona Guajarina, Silvio Maués. Eles ficarão presos na carceragem de Paragominas, em seguida serão transferidos para o Centro Regional de Recuperação de Paragominas (CRRP). A carga foi encaminhada para a sede do Ibama em Paragominas.


Entre os presos estão, Robson Ferreira dos Santos, ex presidente da Câmara de Vereadores de Nova Esperança do Piriá (PSDB), além Eli Ribeiro dos Santos, que seriam donos dos caminhões que transportavam a madeira ilegal. Além de serem os responsáveis pela contratação dos braçais. 

Ontem pela manhã, homens que vieram da capital que fazem parte do Batalhão de Policia Ambiental e técnicos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), foram para o local que fica a 190 km de Paragominas. Segundo informações, eles ficarão lá por tempo indeterminado.


A nossa reportagem entrou em contato com o administrador da Funai em Belém, por telefone ele disse que o Ibama e Policia Federal devem aumentar as fiscalizações nessas regiões. “Eles tem o poder de policia, por isso cremos que eles deveriam aumentar as fiscalizações”, declarou.

Após  concluírem um relatório geral, será encaminhado para a Justiça Federal em Castanhal, nordeste do estado.  

Bruno Nascimento, de Paragominas. 

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Traficante é preso na zona rural de Paragominas.




Durante o retorno da operação que envolveu policiais civis e militares, que desbarataram uma quadrilha de desmatamento ilegal numa reserva indígena, policiais militares prenderam um traficante com quase um quilo de maconha. 

A ação foi comandada pelo tenente Artur Silva, do 19º Batalhão de Polícia Militar de Paragominas. Eles conseguiram prender em flagrante o traficante Manoel Maria de Souza da Silva, 39 anos. 

A equipe vinha pela estrada do assentamento Paragonorte, cerca de 100 km do perímetro urbano, quando avistaram dois homens se locomovendo de bicicleta. 

Um deles, em atitude suspeita, fugiu para dentro do matagal. Após perseguições, a PM conseguiu prendê-lo. Manoel tinha em seu poder um saco com 970 gramas de maconha. A droga iria abastecer as "bocas de fumo" na zona rural no município, mais precisamente, o assentamento Paragonorte. 

Ele foi encaminhado até a 13ª Seccional de Paragominas e foi autuado por tráfico de drogas pelo delegado Carlos Magalhães Gomes. 

Bruno Nascimento, de Paragominas.

Indígenas denunciam desmatamento ilegal em reserva.




Aproveitando os sete dias de realizações dos Jogos dos Povos Indígenas, madeireiros invadiram terras indígenas da etnia Tembé, em Paragominas. Na terça-feira, 16 pessoas foram presas por uma força conjunta que envolveu homens do 19º Batalhão de Polícia Militar, Superintendência Regional da Zona Guajarina e 13ª Seccional de Paragominas.

Segundo o cacique Sergio Tembé, os índios saíram para caçar e perceberam que havia pessoas derrubando árvores dentro da reserva indígena. Doze índios apreenderam toda madeira derrubada, além de tratores e moto serras, e ainda mantiveram trabalhadores sobre custódia até que a polícia chegasse ao local do crime.

A tribo indígena fica distante quase 190 km do núcleo urbano de Paragominas e faz fronteira com Nova Esperança do Piriá. Os sinais eram de devastação e destruição por toda parte. Várias árvores já haviam sido derrubadas.

Num local a cerca de 20 km da sede da aldeia foram encontrados nove homens, que diziam serem apenas trabalhadores contratados por um senhor de prenome Robson. O local foi transformado num ponto base para os policiais. A cada hora, chegavam homens que diziam apenas prestar serviços a terceiros.

Até o amanhecer de ontem, vinte cinco homens foram presos, entre eles, Robson Ferreira dos Santos, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Nova Esperança do Piriá, e Eli Ribeiro dos Santos, os quais seriam donos dos caminhões que transportavam a madeira ilegal, além de serem os responsáveis pela contratação dos braçais.

Segundo os trabalhadores a madeira serrada era comercializada com madeireiros de Tailândia, município do nordeste do estado. Os trabalhadores eram contratados para as funções de: motorista, catraqueiros, motoqueiros e braçais. As diárias variavam entre R$50,00 e R$ 200,00, dependendo da função.

Após realizarem trabalhos ostensivos, policiais encontraram um trator, duas moto serras, um revólver calibre 22, seis motos, além de R$1.500,00 em dinheiro que foi recolhido com a quadrilha, segundo os madeireiros, o dinheiro era usado para agradar os indígenas e garantir a liberação dos caminhões. Todos os motoristas que estavam conduzindo os veículos não tinham habilitação.

As 09h da manhã de terça-feira (17) foi montado um esquema para que os seis caminhões, com mais de cinquenta e dois metros cúbicos de madeira serrada, fossem trazidos para Paragominas, junto com eles, a quadrilha que desmatava em terras indígenas.

O comboio envolveu viaturas do 19º BPM, SRZG e 13ª Seccional, mas, o estado dos caminhões era precário e alguns apresentaram defeitos durante a viagem, apenas dois chegaram à cidade. Eles foram conduzidos para a 13ª Seccional de Paragominas, e apresentados ao superintendente da Zona Guajarina, Silvio Maués, que autuou os envolvidos por formação de quadrilha e crimes contra o meio ambiente.

Eles ficarão detidos nos próximos dias na carceragem da Seccional, e depois devem ser transferidos para o Centro Regional de Recuperação de Paragominas (CRRP). Os caminhões com madeiras em extinção, como é o caso da cupiúba e curripichá, foram levados para a sede do Ibama em Paragominas.

Bruno Nascimento, de Paragominas.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Paragominas tem uma das maiores Romarias do Pará





A Romaria feita para Nossa Senhora de Nazaré reuniu mais de 80.000 pessoas. Número esse que superou expectativas da organização do evento que aguardavam cerca 60.000 devotos de Paragominas e cidades vizinhas a ela.

Considerado um dos maiores eventos da Rodovia Belém-Brasilia (BR-010), foi realizado ontem em Paragominas, sudeste do estado, a 17º edição Círio de Nossa Senhora de Nazaré, promovido pela paróquia do Sagrado Coração de Jesus de Paragominas.

Este ano o tema escolhido foi: “Com Maria, a palavra se fez carne”, para os católicos significam o anuncio do anjo Gabriel à Maria sobre a vinda de Jesus Cristo a terra.

A programação começou com um missa, segundo os religiosos, era um culto de sermões.

Para eles, seguidores do catolicismo devem procurar viver melhor na sociedade e em comunhão com Deus.

Após a missa, a imagem peregrina foi retirada do altar da igreja da comunidade da Promissão III, em seguida foi levada para a berlinda, onde foi recebida com aplausos e queima de fogos. Ela percorreu mais de sete quilômetros pelas ruas e avenidas do município, com o apoio dos mais de 170 guardas da berlinda da imagem peregrina, que estiveram na organização do evento.

A corda que é tradição que não poderia faltar na procissão, este ano ela chegou a ser medida em mais de 300 metros o que fez com que a maioria dos romeiros pudesse segurar na corda, seguindo tradição. Andar com os pés descalços, materializar o pedido feito a Nossa Senhora através uma miniaturas de casas, pedaços de tijolos levados na cabeça, esses foram os comportamentos dos romeiros paragominenses. O desafio mesmo foi segurar a corda no calor de trinta graus em um asfalto muito quente, tudo isso, eles fazem em nome da fé.

É o caso da colona, de 52 anos, Maria Regina Moreira de Passos, ela que veio do assentamento Caip, a mais de 80 km da sede urbana de Paragominas, somente para pagar uma graça obtida através de Nossa Senhora de Nazaré. “Ano que vem eu venho novamente, isso que Nossa Senhora fez, não tem preço”, diz ela.

Diferente de Maria Regina, Jaqueline Avis da Silva, veio à primeira vez para a Romaria de Paragominas. Segundo ela, se Nossa Senhora atender ao pedido que ela fez no próximo ano ela promete andar os quase oito quilômetros com um tijolo nos braços, em agradecimento..   

Por onde a procissão passava, romeiros iam aderindo à romaria. Segundo a organização do evento eles aguardavam cerca de 60.000 pessoas, com a realização da procissão, ontem, estimava-se que participaram mais de 80.000 pessoas da 17ª edição do círio de Nossa Senhora de Nazaré. A cidade hoje tem umas das maiores Romarias do estado, ficando atrás de Belém onde consegue todos os anos reunir mais de duas milhões de pessoas, Castanhal, que este ano chegou a ter mais de 150.000 devotos, em  Bragança, foram cerca de 50.000 Romeiros, Paragominas, entra na ranking de cidades que atraem religiosos para o para prestar homenagens à Nossa Senhora de Nazaré, durante o Círio. Nesse caso, só fica atrás de Castanhal, nordeste paraense. . .    

Por onde o círio passava, eles iam pedindo bênçãos para a cidade, gestores, para igrejas e para o Papa Bento XVI. Além de muitas homenagens feitas por católicos durante o trajeto. Foi o caso da família Moreira, eles montaram um altar para quando a santa passar, eles colorirem o céu com fogos de artifícios.    

Com rezas e orações e ao som do hino “lírio mimoso”, eles percorreram mais de sete quilômetros pelas ruas da cidade.

O trajeto que começou a ser realizado as 07h da manhã de ontem, terminou exatamente as 10h45, com a retirada da Santa da berlinda. Em seguida, foi levada para um altar montado na praça Célio Mirante, onde em seguida foi realizado uma missa campal. A programação encerrou com chave de ouro, com um show pirotécnico de queima de fogos por mais de dez minutos.

Homens do 19º Batalhão de Policia Militar de Paragominas esteve no local para manter a segurança. Segundo o sargento Celso de Jesus: “Não tivemos nenhum registro de ocorrência, o círio de Paragominas foi de uma forma bem organizada de tranqüilidade e paz”, disse o sargento do 19º BPM. Homens do 1º Sub-Grupamento do Bombeiro Militar também estiveram no local, onde não houve registro de acidentes.  

Bruno Nascimento, de Paragominas. 

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Milhares de fiéis são esperados para Romaria de Paragominas.







 A cidade se prepara para receber neste domingo (15) os visitantes de oito cidades vizinhas para a 14ª edição da Romaria do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, um dos maiores eventos religiosos da Rodovia Belém-Brasilia (BR-010).


Há mais de um mês, a Paróquia Sagrado Coração de Jesus vem realizando novenas e visitas nas comunidades católicas da cidade levando a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré.


Como parte da programação que antecede a romaria paragominense, até cavalgada em nome de Nossa Senhora foi realizada nas ruas da cidade, e reuniu cerca de 280 cavaleiros e amazonas, programação essa que já é tradição, e vem se repetindo ao longo dos anos.


Esse ano o tema escolhido foi: "Com Maria, a palavra se fez carne", para os católicos significa o anúncio do Anjo Gabriel à Maria sobre a vinda de Jesus Cristo a terra.


Fazendo parte da programação ainda aconteceu uma carreata pelas principais ruas e avenidas da cidade, com saída da comunidade católica do bairro Jaderlândia e chegada a igreja Matriz.


Sábado será realizada uma missa preparatória que terá inicio às 19h. Depois será feita a transladação que sairá da igreja Matriz rumo à comunidade da Promissão III.
 

No domingo, a imagem peregrina sairá do bairro Promissão III para um percurso de mais sete quilômetros. Segundo os organizadores do evento, para a transladação serão esperados cerca de 10 mil devotos. No domingo são esperados mais de 60 mil romeiros. 


Bruno Nascimento, de Paragominas. 

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Manifestantes fecham BR 010 por energia elétrica.







Com faixas e cartazes, cerca de 300 colonos interditaram com pedaços de madeiras e pneus, na manhã de ontem, a Rodovia Belém-Brasília (BR 010). O gerou um congestionamento de mais de oito quilômetros nos dois sentidos da pista.


Os manifestantes que representavam mais de quarenta comunidades rurais, segundo eles, estão sem energia elétrica há bastante tempo no município de Ipixuna do Pará, nordeste do estado.
A pauta de reivindicação seria a extensão da etapa 8 do programa Luz para Todos do Governo Federal para as demais localidades rurais.


A Policia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada para conter os ânimos que estavam bastante exaltados por parte dos motoristas que pediam para a pista fosse liberada.


Os manifestantes exigiam a presença do prefeito da cidade Evaldo Cunha (PT) que estaria em Belém. Naem exercício Luiz Braga da Silva acompanhado de cinco vereadores, foi até os manifestantes negociar a liberação da pista. ausência do gestor o prefeito


Homens da Policia Militar também esteve no local para garantir a segurança. Segundo o capitão Walber Queiroz, do destacamento da Policia Militar em Ipixuna do Pará, a manifestação teria dado de forma pacifica.


Após quatro horas de negociações, a pista que foi interditada às 6h da manhã de ontem, foi liberada exatamente as 10h15.


Negociação foi feita em Belém.


Os lideres do movimento, além dos cinco vereadores, e o vice-prefeito Luiz Braga, seguiram até Belém, onde se reuniram com diretor de Logística para a Integração, Humberto Cunha; pelo coordenador de Projetos Regionais da Seir, Cláudio Dusik, e pelo diretor de Planejamento e Projetos Especiais da concessionária, Álvaro Brassan.


A demora na liberação da licença ambiental é um dos motivos dessas áreas não terem sida ainda beneficiadas pelo programa, já que a maioria delas está situada em áreas de preservação ambiental permanente.


Dusik ficou de verificar junto à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e também ao Ibama a situação dos pedidos de licença ambiental para a realização das obras do Luz para Todos.


O representante da Celpa também esclareceu que Ipixuna está na 65º posição entre os municípios de atendimento prioritário definidos pelo Comitê Gestor do Luz para Todos: “Outros 64 municípios têm que ser atendido na frente de Ipixuna, na etapa 8. A decisão é do Comitê Gestor, não podemos mudar isso”, esclareceu.


Bruno Nascimento, de Paragominas.
Foto: Walber Queiroz

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Paragominas diz adeus aos Jogos dos Povos Indígenas




Após sete dias de apresentações, demonstrações da cultura indígena, jogos, exposições de trabalhos artesanais, e o contato direto que envolveu índios e o homem “branco”, Paragominas encerrou no sábado, com chave de ouro, a décima edição dos Jogos dos Povos Indígenas.

As 28 ocas que foram construídas no Parque Ambiental Municipal, espaço que recebeu o apelido de “vila olímpica”, e acolheu aproximadamente 1.300 índios de 33 etnias, agora abrigarão o museu do Parque Municipal. Paragominas deu exemplos importantes por ser a cidade que comporta duas etnias e o município que menos desmatou na Amazônia. Graça a isso décima edição dos JPI recebeu o nome de ”Olimpíadas Verdes”. 

A cada dia eram feitas demonstrações sobre o cotidiano do índio e seu contato direto com a natureza. Entre eles os rituais para abençoar boas colheitas ou apenas danças tradicionais, ou ainda um futebol bem diferente, onde os atletas jogam partida com uma bola confeccionada a base da seringa pura. Para muitos os instrumentos de caça e pesca, como o arco e a flecha, foram as armas de competições acirradas as quais chamaram a atenção do público, que durante os sete dias de evento foi de mais de 120 mil pessoas.

Arremesso de lança, cabo de força, canoagem, corridas, corrida de fundo, além de Jãmparti; Jawari; Kagot; Kaipy; Katukaywa; Ronkrã; Tihimore e Zarabatana. Além de lutas corporais como as Aipenkuit; Huka-huka; Iwo e Idjassú. 
Por fim uma das maiores demonstrações de força e habilidade a corrida de tora. Um desafio que seria encarado com dificuldade pelo homem “branco”, os índios realizam com facilidade. 

Com as demonstrações de organizações por parte dos índios, foi entregue um documento para o ministro dos esportes, Orlando Silva, assinado pelo Comitê Intertribal juntamente com 34 caciques de todo o Brasil. O ministro afirmou que a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016, poderão ser em caráter indígena. 

“O que queremos é passar uma imagem verde, como é a Amazônia”, disse Carlos Terena, ele que é um dos idealizadores e coordenador dos jogos.

Segundo Sarô  Assurini, 28 anos, da etnia Assurini aqui do Pará, o índio vem ganhando seu espaço no mundo dos “brancos”. 

“Vejo nossos ancestrais, os mais velhos sempre nos dizem que eles não tinham contato com brancos. Hoje isso mudou. Esse é o décimo jogo que acompanho e tenho contato com a população urbana, diferente do que as pessoas pensam, índio também tem seu espaço nesta sociedade”, afirmou Assurini.

O evento de encerramento foi marcado com demonstrações de todas as provas.

Ao final foi feita a leitura da declaração dos Jogos Indígenas, onde foi aberta uma mensagem para os poderes executivos. Os índios pediram a demarcação das terras indígenas, para que eles possam viver em paz.  “Se o Brasil quiser ser sede da copa do mundo, deve aprender com os indígenas”, disse Carlos Terena.

Em seguida foi à vez das 33 etnias se reunirem e dar as mãos para mais uma finalização dos jogos indígenas. 33 caciques foram chamados a frente, para receber os respectivos troféus para seus povos, onde foi lembrado mais uma vez: “O importante não é ganhar, e sim competir”. 

Bruno Nascimento, de Paragominas.

sábado, 7 de novembro de 2009

Traficantes são presas em Paragominas.




Foi na tarde de ontem (06), após uma denúncia anônima. Policiais militares comandados pelo sargento Celso de Jesus do 19º Batalhão de Policia Militar, conseguiram prender três traficantes, no bairro Jaderlândia, periferia da cidade.


Foram presas as traficantes Eliete de Jesus Freitas, 23 anos; Sheila Cunha de Andrade (gestante); e Antonia de Jesus Freitas, vulgo "Tonha", 41 anos, que tem várias passagens pela 13ª Seccional e chegou a ficar em regime carcerário por tráfico de drogas.


Junto com elas os usuários, Antonio Cardoso, vulgo "bola", 40; José Raimundo Souza, vulgo "Zé Raimundo", 40; Carlos da Silva Paiva, 21; e Thiago Braga Souza, 18 anos, que no ato da prisão, tentavam adquirir droga com as traficantes.


Após denúncia os policiais começaram a monitorar o local. A ação envolveu oito policiais militares e duas viaturas. Quando o sargento Celso deu voz de prisão, os três rapazes estavam consumindo droga na casa da traficante "Tonha". Após realizar revista local, a PM encontrou petecas de pasta de cocaína, além de algumas gramas de maconha.


Todos foram encaminhados para a 13ª Seccional de Paragominas e enquadrados por tráfico e associação ao tráfico pelo delegado Cezar Magalhães.

Bruno Nascimento, de Paragominas.

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs