segunda-feira, 28 de junho de 2010

PM é assassinado em Paragominas


O soldado Raelson Ferreira de Moraes, 24 anos, lotado no 19º BPM de Paragominas, região nordeste do Pará, foi morto com cinco tiros à queima roupa, no bairro Cidade Nova.

O crime aconteceu por volta de 01h40 de sábado, durante a realização de uma festa de aparelhagem no bairro Cidade Nova, área periférica da cidade.

O soldado Raelson teve um desentendimento com Edivaldo Pereira Mendes Filho, 31 anos, mais conhecido no mundo do crime em Paragominas, por “Dida”. Eles chegaram a se agredir fisicamente. O soldado da PM acabou acertando uma coronhada na cabeça de “Dida”.  

Após a briga, tanto o PM, quanto “Dida” e o primo dele, conhecido pelo prenome de “Dimael”, foram retirados da festa pela equipe de segurança para evitar mais tumulto. O soldado Raelson continuou ingerindo bebida alcoólica em uma loja de conveniência na praça do “Ginásio”, as proximidades do local, acompanhado por amigos.

Segundo testemunhas “Dida”, que estava acompanhado por uma irmã e um primo, estava bastante alterado e queria se vingar. “Dimael” que tinha em seu poder uma arma de fogo, repassou o revólver para “Dida”, que por sua vez, foi até o policial e começou a realizar os disparos.
Após ser atingido Raelson caiu no chão se contorcendo. O criminoso chegou a pegar a arma do PM, e com ela, chegou a efetuar mais disparos contra o mesmo.

Câmeras de vigilância geral do 19º BPM registraram todas as cenas do crime. O vídeo não foi liberado para imprensa para não atrapalhar as investigações.
“Dida” e o primo “Dimael” apanharam um táxi no local e foram ao bairro Promissão III, onde fica situada a residência do acusado. Segundo o taxista que se apresentou em seguida na 13ª Seccional, ele teria sido refém dos assassinos. A Polícia Civil continua investigando se existiu ou não a participação do taxista no crime. O vídeo mostra uma multidão na cena do crime, incluindo o taxista, que logo depois, fez a corrida para os acusados.

O soldado Raelson foi socorrido, mas, a caminho do Pronto Socorro Municipal de Paragominas, não resistiu aos ferimentos e morreu. Homens da Polícia Militar continuam as buscas na tentativa de capturar “Dida” e “Dimael”.
Em menos de 15 dias esse é segundo PM vítima de assassinato, com tiros a queima roupa, na região de Paragominas. O assassino do cabo Geneton, executado em Ulianopólis, ainda não foi pego.

O corpo do soldado foi encaminhado para o Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” de Castanhal. Em seguida, entregue para família que reside em Castanhal. O crime está sendo apurado pelo delegado Raimundo Xavier de Souza.

Raelson Ferreira de Moraes, 24 anos, ingressou na Polícia Militar em 2005, após ser aprovado em concurso, na época, o jovem tinha apenas 19 anos. Após a conclusão do curso de aluno soldado da PM realizado no Comando de Policiamento Regional III, de Castanhal, o soldado foi encaminhado para o 19º Batalhão de Polícia Militar de Paragominas, onde prestava serviço desde 2006.

O militar era bastante querido entre os amigos de farda. Os policiais o definiram como uma pessoa sempre alegre e que parecia nunca passar por momentos ruins. Além da esposa o militar deixou uma filha de três meses.

Bruno Nascimento, de Paragominas.

6 comentários:

  1. esse cara eo o conheco mais jamais pensei q ele fosse capaz de tamanha brutalidade pois ele não me parecia ser desse jeito ele é um amigo para mim mais espero q a justica seja feita e q ele pague por tudo q ele fez mais eu fiquei muito triste e abalada com a noticia

    ResponderExcluir
  2. meu nome é Glacivan e acho que as pessoas estão sujeitas a erros e como ele é um ser humano ele errou. Ele deve pagar pelos seus erros na justiça conforme manda a lei.
    Eu só espero que "ALGUMAS PESSOAS"não assuma o papel de Deus e o julguem com a morte por só Deus tem o direito de julgar os homens.
    Eu conheço ele e não tenho o dieito juga-lo pra ele deicho nas mãos de Deus, pra mim ele é e sempre será a mesma pessoa.

    ResponderExcluir
  3. tem muintos policiais que nao respeitam seus regimes internos. como ,o conselho disciplinar da policia militar do estado,e termina se corrupindo,nao respeitam os direitos umanos.o policial nao estar na corporaçao para espancar e julgar niguem, para isso tem a lei suplema juises e a corregedoria, para condenar ate mesmo o policial corrupto,eles passam por cima das leis como se ele fosse o dono da verdade,ate porque eles sao os piores infratores, e para isso tem a lei suplema.o juis da corregedoria deveria faser uma peneira nessa policia e exonerar aqueles policiais que estao ensinando mal condulta para os outros,como cidadao essa e a minha opiniao pagador dos meus impostos.

    ResponderExcluir
  4. essa policia esta defasada,exitem muitos eu falo muitos policias corrupitos e ladrao ,e assasinos que se escondem atras desta farda para ser justiceiros,e o coporativismo e
    muito grande,pra resumir tudo vagabundo...so deus para nos salvar

    ResponderExcluir
  5. a morte de policiais fora do serviço tem aparecido constantimente nas midias de todo nosso país ! nao podemos permitir que isso ocorra... tanto o policial e demais cidadaos, devem ser poupados de qulquer que seja a violencia.

    ResponderExcluir
  6. Voces estão falando do assassinato de um cidadão que também paga seus impostos, de um pai de familia, trabalhador que estudou e passou em um concurso publico para defender a sociedades desses criminosos que não querem estudar, trabalhar e sim tomar bens de trabalhadores como nós cidadãos e nossas vidas, enquanto no Brasil não tiver prisão perpetua ou pena de morte, vamos continuar perdendo nosso maridos,filhos, maes, pais, filhas e cidadaoes de bem.

    ResponderExcluir

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs