quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Baladas e diversões: Agenda para este final de semana em Paragominas

AGENDA CULTURAL PARA ESTE FINAL DE SEMANA: 02, 03 E 04 DE MARÇO DE 2012


O final de semana chegou. Em casa é que eu não vou ficar, ainda mais com as dicas da nossa Agenda Cultural.



SEXTA-FEIRA:



Valquíria Sena 

Na Nostra Terra – Cantina do Sul vai rolar som ao vivo com meninos da banda Talares de Papel, com o melhor da MPB, a partir das 21h. E pelo Piratas Grill o cantor Ted Marke`s de Belém canta o melhor da música nacional e internacional, a partir das 22h. Lembrando, que tem Ted Marke`s no sábado também.


No Gullas II será realizada à festa do "Ice Eu Te Pego". Em sua 2ª edição, com show com o cantor Daniel do Acordeon, de volta a Paragominas, cantando o melhor do forró para você se divertir a noite toda, a partir das 23h. Ingresso na portaria do Gullas I. Antecipado é mais barato.


SÁBADO:

No sábado pelo Clube Nova Dimensão, o DJ Cleylton comanda o som Nova Dimensão e a Carretinha Mega Tsunami, a partir das 23h, com promoção na cerveja. Ingressos a preços populares na portaria do clube.



DOMINGO:



Nada de ficar em casa, hein? Pelo Clube Paserck, vai rolar muito som com a S250 Xcplos. A animação começa a partir da 1 da tarde. Ingresso a preço popular na portaria do Clube.



Já no Clube Nova Dimensão, tem festa da galera da Rádio Jarana FM. A agitação é por conta da L200 Malcriada. Além de sorteios de muitos brindes, a festa começa a partir das 6 da tarde. Ingresso a preço popular na portaria do clube.



AGENDE-SE:
Nesta quinta-feira, 08 de março, será comemorado o Dia Internacional da Mulher, e pra comemorar a data, será realizado no Teatro Reinaldo Castanheira, um Show Acústico Romântico com a dupla Gerson & Aline.



Durante a apresentação a gravação do DVD do casal, a partir das 08 da noite. A entrada franca. Nos encontramos por lá.

Valquíria Sena, de Paragominas.
valzinhasena@gmail.com 

Governador recebe balanço das atividades da empresa Hydro no Pará

Cristino Martins/Ag. Pará
O governador Simão Jatene e secretários de Estado receberam o balanço da empresa Hydro apresentado por Johnny Undelli, Cesar Vasconcelos e Andreia Reis

    Da Redação
    Agência Pará de Notícias

    Ao completar um ano de atividades no Pará, a empresa Hydro, dona de 91% da refinaria Alumina do Norte do Brasil S.a (Alunorte), apresentou ao governador Simão Jatene o balanço desse período, em audiência nesta quarta-feira (29), na sede do Comando Geral da Polícia Militar. A empresa beneficia no Estado a bauxita extraída no município de Paragominas (no nordeste paraense) e na região do Rio Trombetas (no oeste), transformando o minério em alumina.
    O vice-presidente da empresa na área de bauxita e alumina, Johnny Undelli, que estava acompanhado por César Vasconcelos e Andreia Reis, representantes da empresa norueguesa no Brasil, apresentou os resultados dos investimentos no Estado ao governador, ao secretário Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa; ao secretário Especial de Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento Sustentável, Sérgio Leão, e ao secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha.
    Johnny Undelli destacou a importância de compartilhar experiências e agradeceu o interesse do chefe do Executivo e da equipe de governo na forma de atuação da Hydro no Pará e nos resultados alcançados. Segundo ele, de acordo com as diretrizes da empresa é importante desenvolver não apenas a infraestrutura no entorno empresarial, mas em toda a comunidade, beneficiando tanto os colaboradores quanto os habitantes da região.
    Desempenho - “Quando viemos pra cá fomos muito bem recebidos, e agora estamos retornando para apresentar os principais resultados que obtivemos nesses 12 meses. Nossos colaboradores estão muito orgulhosos do desempenho nas empresas, e nós também. Agora precisamos agregar valor dentro do Estado. Cada um, empresa e Estado, têm diferentes responsabilidades no desenvolvimento do Pará, mas acreditamos que podemos fortalecer um ao outro, e nesse ponto o nosso encontro foi muito positivo”, assegurou Johnny Undelli.
    O ano de 2011 foi difícil para a economia mundial, e muitas empresas que trabalham com alumínio devem fechar as portas neste ano, ressaltou o vice-presidente. Mesmo diante deste cenário, acrescentou, os empreendimentos da Hydro no Pará cresceram. A meta agora é manter o saldo positivo e melhorar a infraestrutura das localidades onde as empresas estão instaladas.
    O secretário Sidney Rosa disse que a iniciativa da Hydro de discutir com o governo as futuras decisões da empresa é um avanço na forma de fazer negócios no Pará, “um reflexo da cultura da Noruega, que é um dos países que mais investem e cobram a responsabilidade social”.
    “É uma postura única e um exemplo a ser seguido. Eles nos apresentaram as condições operacionais e conversaram conosco para entender o posicionamento do Executivo diante da empresa. Se colocaram à disposição para colaborar com políticas públicas. Por isso acredito que Barcarena (município onde a empresa se instalou), por exemplo, terá um grande avanço social nos próximos meses. Isso vai ao encontro do que o governador pretende, de que todos possam firmar um grande pacto pelo Pará. Seria um sonho conseguir fazer uma parceria entre o Pará e a Noruega. O modelo empresarial deles é ideal, e estamos trabalhando para possamos atingir também esta meta”, frisou Sidney Rosa.

    Texto:

    Dani Filgueiras - Secom
    Fone: 81185849 / 81185849

    Preso acusado de estupro de vulnerável em Dom Eliseu


    Carlos Miranda
    Carlos Miranda
    Uma denúncia de crime de estupro de vulnerável feita à Delegacia de Dom Eliseu, sudeste do Pará, resultou na prisão em flagrante de Carlos Miranda da Cunha, de 36 anos, conhecido como "Esquerdinha". 

    O crime foi revelado, em depoimento, pela companheira do acusado, Antônia Jaqueline, 18 anos, que trabalhava como babá da vítima. O caso foi investigado pelo delegado Rayrton Carneiro, de Rondon do Pará. A informação recebida pelo delegado foi de que uma criança de criança do sexo feminino, de um ano e 8 meses, estava internada no Hospital Municipal de Dom Eliseu com sinais de violência sexual. 

    A criança foi levada ao hospital pela babá e pelo companheiro dela. A mulher contou ao médico Jorge Gomes Filho, ao dar entrada na unidade de saúde, que percebeu, no momento do banho ainda em casa, que a criança sangrava pelo órgão genital e, por causa disso, chorava muito. O delegado Rayrton Carneiro foi ao hospital e teve conversa reservada com o médico que mostrou fotos da criança feitas pela equipe médica. As imagens mostram o órgão genital da criança dilacerado. "Segundo o médico, não havia dúvidas de penetração pênis-vagina na criança. Logo, o médico providenciou a coleta de material no órgão genital da criança e do companheiro da babá", informou o policial civil. A babá e o companheiro dela passaram por exames rápidos para detecção do vírus HIV. O resultado foi positivo para o reagente.

    Diante disso, o delegado foi até a casa da babá, onde apreendeu um lençol sujo de sangue usado para forrar a cama do casal. Todo material apreendido e coletado foi encaminhado ao Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”. Os laudos ficarão prontos em cerca de dez dias. Com todos os indícios em mãos, explica o delegado, faltava apenas a declaração dos suspeitos. Num primeiro momento, a babá tentou manter a versão do companheiro, mas depois revelou a verdade. A versão inicial foi de que Carlos Miranda alegou ter saído de casa pela manhã para ir à casa da vizinha, onde, segundo a babá, ele teria permanecido por cerca de 30 minutos, enquanto a criança ficou sozinha em casa. 
    Ao retornar à residência, ele teria flagrado a criança já chorando e sangrando. Interrogada, contudo, ela entrou em contradição. Antonia Jaqueline, que está no oitavo mês de gestação, acabou por contar a verdade. Ela revelou que estava dormindo com a criança em uma cama de casal, enquanto Carlos Miranda dormia na sala da casa. Por volta das 4 horas da manhã, Carlos resolveu passar para a cama de casal e ficou deitado ao lado da babá e da criança. Depois de um certo tempo, a babá conta ter acordado com o choro da criança. Ao acender a luz, Antônia Jaqueline afirma ter flagrado o companheiro sobre a menina em ato de penetração. De imediato, Antonia Jaqueline afirma ter tirado a menina de Carlos, mas acabou ameaçada por ele caso contasse a alguém. "Ele teria dito que bateria na barriga dela para que perdesse o filho, e quando saísse da cadeia a mataria", detalhou Rayrton Carneiro.
    Carlos Miranda, ao ser interrogado, negou a prática do crime e manteve a versão contada inicialmente pela babá, de que a criança teria sido violentada durante o dia, quando ficou sozinha em casa. Para o delegado Rayrton Carneiro, não restam dúvidas da participação de Carlos Miranda na prática do crime. "O fato ocorreu durante a madrugada. O depoimento da babá e o lençol sujo de sangue são provas do crime", ressaltou. Em decorrência disso, Carlos Miranda da Cunha foi autuado em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável com pena de reclusão prevista de 8 a 15 anos. O delegado disse ainda que, até o final do inquérito, poderá indiciar Carlos também nos crimes de ameaça e contágio de moléstia grave, caso comprove que ele já sabia da situação de soropositivo. Com mais esses dois crimes, a pena final pode atingir 19 anos e meio de reclusão.

    Novo piso salarial preocupa prefeitos

    A notícia sobre o valor do novo Piso Nacional do Magistério, que segundo o Ministério da Educação (MEC), será de R$ 1.451, causou preocupação entre os prefeitos. De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o novo valor estabelecido vai sacrificar a maioria dos municípios. Pelos dados levantados pela entidade, para cumprir a lei do piso e manter a carga horária de trabalho em sala estipulada pela lei, os municípios precisarão fazer contratações adicionais. Conforme o estudo, para a jornada de 40 horas semanais, o reajuste pode representar aumento de 22,22% sobre o valor do ano anterior.
    “Os recursos vinculados constitucionalmente à Educação não podem ser exclusivos para despesas com pessoal”, avalia o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski. “Como vamos fazer como isso? Vamos pagar o professor e fechar as escolas”, questiona. Para ele, os dados mostram que os municípios reconhecem seu compromisso, mas o valor vai sacrificar as finanças da maioria. “O preço é alto. O aumento com a folha tem afetado os investimentos em outras ações de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino (MDE)”, pondera o líder municipalista.
    Ao avaliar as diversidades regionais, a CNM constatou que o impacto do reajuste será mais trágico nas regiões Norte e Nordeste, que apresentam a menor média salarial ao mesmo tempo em que têm quantidade razoável de funções docentes.
    “O impacto é significativo, pois no julgamento da constitucionalidade da lei o piso, o Supremo Tribunal Federal se referiu apenas aos vencimentos iniciais e a conta considerou também as eventuais gratificações pagas aos docentes”, explicou Ziulkoski.
    INSUFICIENTES
    Ontem, na abertura da mobilização municipalista “Estratégias e Ações para 2012”, prefeitos de todas as regiões do país relataram as dificuldades que terão para pagar o novo Piso Salarial dos Professores.
    O secretário executivo da Federação das Associações dos Municípios do Pará (Famep), Josenir Nascimento, que participa do encontro em Brasília, lembrou que esta nova luta imposta aos municípios deverá pautar as próximas reuniões da entidade. Um exemplo das dificuldades a serem enfrentadas é a constatação de que os recursos do Fundeb não serão suficientes para o pagamento da folha do magistério.
    De acordo com os dados do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (Siope), em 2010, 5.396 Municípios investiram R$ 31,7 bilhões com a folha de pagamento. O valor comprometeu 71,6 % do Fundo.
    “A União não apoia efetivamente, e os municípios empenham, sozinhos, esforços para assegurar o cumprimento da lei. O novo valor a ser pago evidencia ainda mais a necessidade da complementação do governo federal ao piso em 2012”, finaliza Ziulkoski. 
    Governadores também têm dificuldades
    O anúncio do novo piso salarial nacional dos professores, com valor retroativo para o mês de janeiro, deve levar o Governo do Estado e a categoria à mesa de negociação para evitar a possibilidade de uma nova greve.
    Matheus Ferreira, secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp), lembrou que no período da grave de 2011, a categoria discutiu com o Governo do Estado o pagamento do piso parcelado até setembro de 2012.
    Na próxima segunda-feira (6) já está agendada uma reunião na Secretaria de Estado de Educação (Seduc). “A partir do dia 6 vamos saber qual é a proposta do governo, saber se existe alguma perspectiva sobre o pagamento do novo piso. A greve foi suspensa até abril para o cumprimento do acordo anterior, então há prazos para serem cumpridos”, advertiu.
    SEDUC
    Em nota, a Seduc informou que a reunião vai tratar de assuntos pertinentes a lotação de professores e a pauta social, e está marcada para às 10h, no Centro Integrado de Governo (CIG). Na mesma reunião também será discutida a questão do novo piso da categoria.
    Através da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), foi informado que o governador Simão Jatene viajou ontem a Brasília para participar de uma reunião com os demais governadores de Estado. Na pauta a questão do novo piso salarial, onde muitos governadores irão expor as dificuldades de cumprir a determinação do MEC. Até o fim da reunião não haveria uma declaração oficial por parte do Governo do Estado.
    O aumento concedido pelo MEC para os professores reflete a variação ocorrida no ano passado, em relação ao ano de 2010, nos gastos por cada aluno que é definido nacionalmente pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).
    A Lei Federal nº 11.738, de 2008, tornou a adoção do piso nacional para Estados e municípios. No caso de alegarem que não tem condições de pagar o reajuste de 22,22% para a categoria, os governantes podem ter acesso a recursos federais para o complemento da folha de pagamento. Porém, desde que a lei entrou em vigor, nenhum Estado ou município recebeu estes recursos. Segundo o MEC, nenhum estado ou município conseguiu comprovar a falta de verbas para pagar os professores.(Diário do Pará)

    Manutenção do Navegapará em Paragominas

    A Prodepa informa que nesta sexta-feira, 2 de março, a partir das 14h, será feita manutenção na fibra óptica que leva o Navegapará ao município de Paragominas, com previsão de término no sábado, 3.

    terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

    Governadores pressionam pela aprovação de projeto que muda critério de reajuste do piso salarial dos professores

    Amanda Cieglinski
    Repórter da Agência Brasil

    Brasília – Dez governadores reuniram-se hoje (28) com o presidente da Câmara dos Deputados, deputado Marco Maia (PT-RS), para pressionar pela aprovação de um projeto de lei que propõe alterar o critério de reajuste do piso nacional do magistério. Atualmente, a legislação determina que o piso dos professores deve ser corrigido de acordo com o percentual de crescimento do valor mínimo anual por aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).
    Como entre 2011 e 2012 esse aumento foi 22%, o piso também foi corrigido pelo mesmo patamar, passando de R$ 1.187 para R$ 1.451. Os valores foram anunciados ontem (27) pelo Ministério da Educação (MEC).
    Pelo projeto de lei defendido pelos governadores, que foi aprovado pela Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara e aguarda aprovação em plenário, o piso seria corrigido anualmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação. De acordo com o governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, atualmente, apenas oito estados pagam aos professores de suas redes de ensino o valor que determina a lei.
    “Sou a favor do piso e fui o primeiro governador a aplicá-lo. Mas você aguentaria pagar um reajuste de 22% ao ano para o seu empregado se o seu salário só é reajustado 6% ou 7% [referindo-se à inflação]? Essa matemática não vai fechar. Nós somos contra esse critério de reajuste”, disse Puccinelli ao sair da reunião.
    O governador argumentou que os impostos e tributos são calculados a partir da inflação e, por isso, o salário dos professores deveria seguir o mesmo critério já que a fonte para o pagamento é a arrecadação dos estados. Segundo Puccinelli, já é previsto que, para 2013, o crescimento do valor por aluno do Fundeb fique entre 18% e 23%, o que significaria um aumento semelhante para o piso, caso seja mantido o atual parâmetro de reajuste.
    De acordo com a deputada Fátima Bezerra (PT-RN), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Piso, com o anúncio do novo valor do menor salário do professor, qualquer alteração nos critérios de reajuste valerá apenas para 2013. Ela sugere que seja montada uma mesa de negociação com parlamentares da bancada da educação, dos estados, municípios e do governo federal, para discutir possíveis mudanças. Para a deputada, entretanto, o INPC não é um bom critério, já que apenas a correção pela inflação não garantirá ganhos para a categoria.
    Com o anúncio do piso para 2012 e a discussão da mudança dos critérios de correção, o deputado Izalci (PP-DF) disse que, agora, "acende um alerta" em relação aos movimentos de greve de professores nos estados e municípios, já que alguns entes federados não pagarão o valor fixado por lei. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) planeja uma paralisação nacional nos dias 14, 15 e 16 de março, com o objetivo de cobrar a efetiva aplicação da lei.

    Edição: Lana Cristina
     

    Aumento do piso dos professores téria impacto de R$ 1,6 bilhão nas contas municipais, diz entidade

    Amanda Cieglinski
    Repórter da Agência Brasil

    Brasília – O aumento de 22% do piso nacional do magistério anunciado hoje (27) pelo Ministério da Educação (MEC) terá um impacto de R$ 1,6 bilhão nas contas das prefeituras. Os dados constam de levantamento da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). A estimativa, que leva em conta informações referentes a 2.039 cidades, foi feita a partir da diferença entre as médias salariais pagas hoje a professores das redes municipais e o piso de R$ 1.451 para 2012 fixado pelo MEC.
    Aprovada em 2008, a Lei do Piso determina que nenhum professor de escola pública, com formação de nível médio, pode receber menos do que o valor determinado por uma jornada de 40 horas semanais. O piso refere-se apenas ao vencimento-base e o cálculo para o pagamento não pode incluir outras vantagens como gratificações e adicionais. De acordo com o estudo da CNM, os salários-base para professores com jornada de 40 horas e nível médio variaram nas cidades pesquisadas entre R$ 316,80 e R$ 2.439,14.
    Entre as regiões do país, os municípios do Nordeste são os que terão maior impacto nas suas contas em função do aumento do piso. Serão necessários R$ 816 milhões a mais para garantir o pagamento de acordo com o que manda a lei. Isso porque as redes de ensino da região têm as menores médias salariais e um grande número de professores. Em 2011, o piso foi R$1.187 e em 2010, R$ 1.024. Em 2009, primeiro ano da vigência da lei, o piso era R$ 950.
    A legislação também determina que um terço da carga horária do professor deverá ser reservada para atividades fora da sala de aula, como planejamento pedagógico e atualização. Com a aplicação correta do dispositivo, as redes de ensino necessitariam contratar mais professores o que, segundo, a CNM, significaria a necessidade de um investimento extra de R$ 3,8 bilhões. A entidade estima que será necessário contratar mais 195 mil docentes para adequar a carga horária à regra estabelecida na lei.
    Os municípios do Sul e o Sudeste são aqueles onde o professor tem menos tempo para atividade fora da sala de aula: em média, 20% e 18,7% da jornada de trabalho, respectivamente. Há grandes discrepâncias com relação ao tempo para atividades extraclasse nas diferentes redes de ensino. De acordo com a CNM, em algumas redes de ensino, não há nem uma hora reservada para essas atividades, enquanto em outras cidades os planos de carreira determinam que 35% da jornada do professor terão que ser cumpridos fora da sala de aula.
    A entidade cobra uma maior participação da União no custeio do pagamento dos salários dos professores. A Lei do Piso prevê que, nos casos em que o município não possa bancar o valor, a União repassará recursos complementares. Mas, desde que a legislação está em vigor, nenhuma prefeitura ou governo estadual cumpriu os pré-requisitos necessários – como a comprovação de incapacidade financeira – para obter a complementação.
    Edição: Lana Cristina
     

    Piso nacional do magistério de 2012 é definido em R$ 1.451

    Amanda Cieglinski
    Repórter da Agência Brasil
    Brasília – O Ministério da Educação (MEC) definiu em R$ 1.451 o valor do piso nacional do magistério para 2012, um aumento de 22,22% em relação a 2011. Conforme determina a lei que criou o piso, o reajuste foi calculado com base no crescimento do valor mínimo por aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no mesmo período.
    A Lei do Piso determina que nenhum professor pode receber menos do que o valor determinado por uma jornada de 40 horas semanais. Questionada na Justiça por governadores, a legislação foi confirmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado.
    Entes federados argumentam que não têm recursos para pagar o valor estipulado pela lei. O dispositivo prevê que a União complemente o pagamento nesses casos, mas, desde 2008, nenhum estado ou município recebeu os recursos porque, segundo o MEC, não conseguiu comprovar a falta de verbas para esse fim.
    Em 2011, o piso foi R$1.187 e em 2010, R$ 1.024. Em 2009, primeiro ano da vigência da lei, o piso era R$ 950. Alguns governos estaduais e municipais criticam o critério de reajuste e defendem que o valor deveria ser corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), como ocorre com outras carreiras.
    Na Câmara dos Deputados, tramita um projeto de lei que pretende alterar o parâmetro de correção do piso para a variação da inflação. A proposta não prosperou no Senado, mas na Câmara recebeu parecer positivo da Comissão de Finanças e Tributação. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) prepara uma paralisação nacional dos professores para os dias 14,15 e 16 de março com o objetivo de cobrar o cumprimento da Lei do Piso.
    Edição: Lana Cristina

    Prazo para recadastro do Bolsa Família é adiado

    Prazo para recadastro do Bolsa Família é adiado (Foto: Agência Brasil)
    (Foto: Agência Brasil)
    O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) prorrogou até 29 de março o prazo para a atualização cadastral do Programa Bolsa Família, que terminaria na próxima quarta-feira (29). A prorrogação foi necessária devido à adoção de novo sistema de senhas, que deixou o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal indisponível por duas semanas em fevereiro, prejudicando o trabalho de atualização nos municípios.

    No início deste ano, 729 mil beneficiários tiveram o pagamento do Bolsa Família bloqueado por falta de atualização cadastral. O coordenador-geral de Revisão de Benefícios do MDS, Roberto Pojo, explica que as famílias que já atualizaram as informações poderão sacar o pagamento em março. O pagamento do mês sai juntamente com os de janeiro e fevereiro, que estavam bloqueados. “Quem ainda não havia feito a revisão ganhou mais 30 dias para fazê-lo, o que significa que não haverá cancelamento de benefício por falta de revisão cadastral até o fim do novo prazo”.
     
    Quando o recurso é bloqueado, ele fica na conta e não pode ser sacado. Quando há cancelamento, o beneficiário é excluído do programa. A atualização cadastral periódica é um dos mecanismos de controle do programa de transferência de renda do governo Federal, que atende 13,3 milhões de famílias. Mudança de endereço ou de renda, localização da escola dos filhos para acompanhamento da frequência escolar e composição familiar são informações fundamentais para a boa gestão do Bolsa Família.

    No início de cada ano, o MDS identifica todas as famílias com cadastros sem atualização nos últimos dois anos e publica essa relação em seus sistemas de gestão. As famílias identificadas na listagem recebem avisos no extrato de pagamento. Caso não façam a atualização e tenham os benefícios bloqueados, nova mensagem é encaminhada, orientando a família a procurar a gestão municipal.

    O MDS alerta para a importância da veracidade dos dados, que servem para traçar um retrato da realidade dos beneficiários e contribuir para o aprimoramento do programa federal de transferência de renda. Cerca de R$ 1,5 bilhão são transferidos por mês para essa população.

    Tratamento diferenciado – Famílias inscritas no Cadastro Único que moram em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, em municípios que decretaram estado de emergência ou calamidade pública por causa das enchentes no início do ano, têm tratamento diferenciado. Devido às chuvas, quem recebe o Bolsa Família e deveria ter feito a atualização cadastral não teve o pagamento do recurso bloqueado. Porém, todos devem procurar os gestores municipais do programa até 29 de março para atualizar os dados e evitar bloqueio e cancelamento do benefício. (MDS)

    Em Belém: Seduc abre período de matrícula para escolas

    Está aberta a matrícula para os novos estudantes que desejam ingressar nas escolas de tempo integral. Inicialmente, dez escolas na Região Metropolitana de Belém ofertam turmas neste novo modelo de ensino, que funcionará no horário de 7h30 às 17 horas. Este ano a meta do projeto é atender 2.680 estudantes do ensino fundamental e médio.

    A implementação no Pará da escola de tempo integral pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) é o desdobramento da política nacional da educação básica, prevista no Plano Nacional de Educação. O objetivo da ação é elevar o tempo efetivo do aluno na escola, no sentido de aprimorar a aprendizagem, o fortalecimento da convivência social e a melhoria da qualidade do ensino.

    O projeto será implementado gradativamente na rede pública estadual, começando nas escolas localizadas nos bairros do Guamá, Benguí, CDP, Jurunas, Águas Lindas, Marituba e Reduto, que apresentam níveis acentuados de vulnerabilidade social, mortalidade infanto-juvenil e baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

    Nessas escolas, cuja infraestrutura passou por adequação, será desenvolvida uma ação educativa que integrará as aulas relativas ao currículo da educação básica, complementadas com atividades de aplicação do conhecimento, por meio de oficinas que acontecerão em espaços diferenciados como pátio, biblioteca, sala de leitura, salas ambiente, laboratórios, entre outros.

    Para a diretora de Ensino Infantil e Fundamental da Seduc, Ana Cláudia Hage, a permanência do estudante mais tempo na escola é importante para o desenvolvimento cognitivo, físico e motor. “A escola de tempo integral atende também a uma demanda social, pois é comprovado que quanto maior o tempo de permanência da criança e do adolescente na escola, menor o índice de violência na comunidade do entorno”, acrescenta a professora.

    A partir de 2013, a Seduc iniciará, em escala piloto, a implementação do projeto escola em tempo integral no interior do estado e avançará, gradativamente, até o envolvimento da totalidade das escolas da rede.

    Prazos – A pré-matrícula para as escolas de tempo integral poderá ser feita no site da Seduc www.seduc.pa.gov.br ou pelo telefone 0800 280 0078. Neste cronograma, até o dia 4 de março, acontece a pré-matrícula, dando prioridade as pessoas com deficiência. Este grupo terá de 5 a 9 de março para confirmação. Do dia 5 até 25 de março, abre a pré-matrícula para os demais novos alunos, que terão do dia 26 ao 28 para confirmação, que acontece na própria escola.

    Os alunos que perderem a pré-matrícula poderão ter uma nova oportunidade de ingressar na rede, do dia 9 a 13 de abril, desta vez nas escolas que ainda apresentarem vagas. Os alunos da rede serão rematriculados, remanejados ou transferidos pelo sistema de matrícula a partir do dia 30 de março.

    As escolas que funcionarão em tempo integral são: Ruy Paranatinga Barata, Cidade de Emaús, Professor Antônia Paes, Professora Norma Morhy, Eneida de Moraes e Benjamin Constant, no ensino fundamental; Augusto Meira, Raimundo Vera Cruz, Temístocles de Araújo e Eneida de Moraes, no ensino médio; e Juscelino Kubitschek de Oliveira, no ensino profissionalizante. (Agência Pará)

    Tudo pronto para o PACTO CONTRA AS DROGAS

    Dia 16 de março, às 9h da manhã, no Ginásio de Esportes. Lançamento do PACTO CONTRA AS DROGAS com o tema: DROGAS, ASSIM VOCÊ ME MATA.


    Depois de uma intensa batalha contra o desmatamento acelerado e de ter colocado o município de Paragominas no topo do mundo, transformando-o no Município Verde da Amazônia, o prefeito Adnan Demachki e o vice-prefeito Paulinho, começam agora uma segunda batalha, talvez mais árdua, porém com um significado não menos importante que é juntar forças para combater o mal do século: AS DROGAS.
    Não se pode conceber uma façanha de tamanha responsabilidade se não houver a participação efetiva da sociedade, por isso o prefeito e o vice estão empenhados pessoalmente em unir a sociedade em prol de um problema que aflige milhares de famílias paragominenses. Eles já conversaram com Juizas, Promotores, Delegados, Comandante da  PM, tenente coronel Runbenlúcio Silva, Vereadores, Padres, Conselho de Pastores e o secretário estadual Sidney Rosa esta envidando esforços para que o Sistema de Segurança do Estado também esteja  em Paragominas no dia de lançamento do Conselho Sobre Drogas e do PACTO CONTRA AS DROGAS.
    Não há como fechar os olhos ou cruizar os braços para a tragédia que o mundo está se arrastando com a disseminação e a facilidade com que as crianças, adolescentes, jovens e adultos adquirem as drogas ilícitas. Maconha, crack, cocaína e agora o famigerado óxi estão destruindo as famílias de uma forma absurdamente acelerada.
    É preciso a união da sociedade civil e dos poderes públicos para o enfrentamento desta maldição. Dia 16 marco às 9 hs da manhã, no Ginásio de Esportes será o divisor de águas. Paragominas Município Verde, ícone da preservação ambiental no mundo, é também o primeiro município a se levantar contra uma situação social degradante que não pode mais permanecer livre e impune.
    Não deixe de participar. Somos todos responsáveis pela vida da nossa família e dos nossos irmãos!

    Projeto Juquinha atende crianças e adolescentes com necessidades especiais em Paragominas

    Projeto Juquinha
    A Associação José Pereira de Farias, o "Projeto Juquinha", como é conhecido, atende crianças e adolescentes portadores de necessidades especiais desde 2003, em Paragominas, na região nordeste do Pará. 
    No próximo dia 03 de março, na praça do bairro Jaderlândia,  uma ação beneficente pretende contar com a participação da comunidade em geral, sócios contribuintes, voluntários e demais colaboradores  para arrecadação de recursos com a finalidade da construção da nova sede do "Projeto Juquinha" que atende 106 pessoas entre crianças, adolescentes e jovens, com necessidades especiais. Um outro grupo estão na lista de espera aguardando oportunidades para serem atendidos.
    As turmas de  alunos especiais recebem atendimentos nas áreas de assistência social, psicologia, psicopedagogia, neurofisiatra, e fonoaudióloga. A maioria são de famílias carentes e muitas das vezes desestruturadas  por razões econômicas.
    Com principal objetivo formar cidadãos  éticos  e críticos e prepará-los para sociedade no mercado de trabalho. De acordo com  a  diretora pedagógica do projeto,  Lídia Cristina, os resultados do trabalho desenvolvidos em prol da recuperação da saúde plena dos alunos estão superando as espectativas das equipes que desenvolvem as atividades diversas com os grupos.
    A ação beneficente em prol da construção da nova sede do projeto acontecerá no próximo dia 03 de março na praça do Jaderlândia. Você que puder doar qualquer produto que não esteja sendo útil, faça doação ao projeto. Roupas, calçados utensílios domésticos, móveis, eletrodomésticos, etc. Os produtos serão vendidos no bazar em uma pechincha que será realizada brevemente. 
    A construção da sede do projeto Juquinha vai atender aproximadamente 350 famílias de crianças e jovens portadores  de necessidades especiais.
    A nova sede do projeto Juquinha, começá a ser construída em breve em uma área de  7.200 metros quadrados. Adquirida por doação através da Prefeitura de Paragominas. 

    COFRES: Uma outra forma de arrecadar recursos para construção e manutenção do projeto é que em Paragominas, existem espalhados aproximadamente 200 cofres no comércio local. 
    Bruno Nascimento, com informações de Adriani Pires de Paragominas.

    Siga o ParagoNews

    Minha lista de blogs