terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Paragominas completará 48 de emancipação política

A cidade que nasceu às margens da antiga BR-014, hoje Rodovia Belém-Brasília (BR-010) completará amanhã (23) seus quarenta e oito anos de emancipação política.

Foi a partir de seus pioneiros: paraenses, goianos e mineiros, que surgiu o nome Paragominas. A fundação de Paragominas foi diferente das fundações de outros municípios do Pará, por que a maioria surgiu através da colonização portuguesa, das missões jesuítas, já Paragominas não, essa cidade que podemos ver hoje, foi muito bem planejada pelo seu fundador Célio Rezende de Miranda, que sempre ouvira falar das imensas riquezas paraenses, de suas matas inexploradas, clima propício à agropecuária.

Em 1958 ele fez sua primeira viagem ao Pará e sobrevoando as áreas, vários pontos foram estudados e o escolhido foi aquele entre os rios Gurupi e Capim. No mesmo ano Célio Miranda foi ao encontro do Presidente Juscelino Kubitschek, porque para implantar o seu projeto era preciso obter a autorização do mesmo. Mostrando grande interesse pelos planos do corajoso mineiro, Juscelino concluiu que, assim, além de evitar não só a invasão das terras por estrangeiros ou aventureiros, povoaria a região.

Apoiando os planos do fundador, o presidente deu-lhe um documento que deveria ser entregue ao governador do Pará, na época Jarbas Passarinho. Nesse documento, Juscelino solicitava ao governo paraense que fosse cedida a Célio Miranda a gleba de terra por ele escolhida.

Além de receber a concessão da terra, Célio foi presenteado com uma planta elaborada pelo urbanista Lúcio Costa, a qual havia concorrido, junto a outras, para o projeto de construção de Brasília, classificando-se assim em 4° lugar. Este projeto foi obtido por Célio Miranda através da doação por intermédio do geólogo Dr. Jofre Mozart Parada que na época trabalhava em Brasília. A planta fora planejada em formato tri-hexagonal e como não havia a quantidade necessária de recursos, a planta original sofreu algumas modificações.

Para conhecer a região veio uma caravana através do rio Guamá, em seguida rio Capim, onde parou no rio Putiritá, cerca de 40 km da sede de Paragominas. Logo, foram se abrindo estradas para que os acessos se tornassem mais viável.

Em seguida, a cidade veio passando por transformações. Na década de 60, pessoas oriundas do sul do Brasil, eram convidadas para explorar terras no Pará, assim, evitaria que fossem invadidas por estrangeiros, além disso, povoaria o pequeno vilarejo que hoje chega quase 100 mil habitantes.

Paragominas hoje tem sua economia baseada na extração de minério, agricultura, comércio e pecuária. O que garante qualidade de vida para milhares de pessoas.

Além disso, a cidade vêm se destacando no cenário nacional com o projeto "Município Verde". Paragominas é uma das cidades que mais desmatavam no país, e fazia parte de uma lista de 39 municípios. Após pacto assinado pela sociedade civil organizada, a cidade é a que menos devastou nos últimos vinte meses.

O aniversário que será comemorado com estilo, onde várias personalidades serão condecoradas com o premio "Célio Miranda", é o município reconhecendo os trabalhos prestados em favor da população.

Por Bruno Nascimento.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs