sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Polícia captura bando que planejava assaltar banco em Paragominas


Acusados
Três quadrilhas de assaltantes de bancos desarticuladas e presas em menos de seis dias. Outras 20 envolvidas em roubos a agências bancárias presas ano passado, num total de 132 prisões. Os dados foram apresentados nesta quinta-feira (24), durante a apresentação demais um grupo de criminosos, na sede da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Polícia Civil.
Desta vez, as prisões foram feitas em Paragominas, nordeste do Pará. Quatro homens e três mulheres foram presos no momento em que se preparavam para cometer um assalto a banco, na modalidade conhecida como "sapatinho". Os presos são Eric Diógenes Oliveira, o "Canjica", 28 anos; Antônio da Silva Santos, o "Galego", 22; Leyde Dayane Mota Araújo, 23; Cláudia Ferreira da Costa, 31; Fernanda da Silva, 18; Gleison de Souza Costa, o "Amarelo", 31, e Fernando de Brito Sousa, 27.
Eles foram presos em flagrante e autuados pelos crimes de formação de quadrilha, falsificação de documento público, uso de documento falso e porte ilegal de arma de fogo. Dois dos presos - Gleison Costa e Fernando Sousa - já eram presidiários e estavam como fugitivos do Presídio Agrícola Mariano Antunes, em Marabá, sudeste do Pará.
As prisões foram feitas na noite de quarta-feira, por policiais civis da DRCO e da superintendência da Polícia Civil na Zona Guajarina, com apoio do Núcleo de Inteligência Policial. Segundo o delegado José Ricardo Oliveira, as investigações davam conta que "Amarelo", "Canjica", "Galego" e Fernando estavam em Paragominas para se integrarem a outro grupo criminoso, visando sequestrar o gerente de uma agência bancária e, depois, assaltar o estabelecimento.
Os levantamentos foram intensificados desde o último dia 22. Durante o trabalho, Leyde Dayane, esposa de Fernando, foi localizada ao chegar a Paragominas, pelo terminal rodoviário, onde o marido a aguardava em um carro particular. Os dois foram, em seguida, abordados pelos policiais.
Na revista ao veículo, uma arma de fogo - pistola calibre 380 - foi apreendida. A arma estava carregada com onze munições intactas. Interrogado, Fernando confessou que a arma é sua e que estava na cidade junto commais três comparsas e outras duas mulheres, companheiras deles.
Esquema– "Ele revelou que o plano do bando era sequestrar o bancário e depois cometer o assalto", explicou José Ricardo. Os bandidos iriam cometer o roubo a banco conhecido como "sapatinho", em que os funcionários são sequestrados e obrigados a abrir o cofre da agência. Com a prisão de Fernando e Leyde, os policiais descobriram que havia membros da quadrilha hospedados em dois hotéis da cidade. Em um deles, denominado "Central", foram presos "Canjica" e "Galego". Depois, no hotel "Renascer", foram presos os demais.
Pelo esquema do bando, as mulheres estavam responsáveis em fazer o levantamento da casa do bancário. Elas também iriam auxiliar na fuga dos homens após a consumação do crime. "Galego" revelou, em depoimento, que era o responsável em monitorar o gerente do banco e que já o havia seguido por outras três vezes na cidade, no trajeto entre a agência e a casa dele.
Nas investigações, os policiais civis apuraram que os integrantes do bando estavam hospedados em um dos hotéis desde o último dia 18. A equipe policial apurou ainda que os assaltantes estavam no aguardo de outros dois comparsas, já identificados e que são alvos de investigações. Um deles viria de Araguaína, em Tocantins, trazendomaisuma arma de fogo, do tipo pistola, para o crime.
O comparsa chegaria à cidade na noite do dia 23, quando entraria em contato com a quadrilha. Ao todo, três carros e sete telefones celulares foram apreendidos com o grupo preso. Todos estão recolhidos à disposição da Justiça.

Texto:
Walrimar Santos - Polícia Civil
Fone: (91) 4006-9036 / (91) 9941-3490

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs