quinta-feira, 24 de abril de 2014

Polícia Civil prende receptador de joias roubadas no Guamá em Belém


"Juca do Guamá" está preso
"Juca do Guamá" está preso
A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), prendeu, nesta quarta-feira, 26, José Guimarães Amorim, 51 anos, mais conhecido como "Juca do Guamá", que foi preso, por ordem de prisão preventiva, por receptação de joias roubadas, em 2012, em Belém. Ele foi preso, na passagem 20 de Junho, perto da Avenida Barão de Igarapé-Miri, bairro do Guamá, por policiais civis. Ao fazer um levantamento de antecedentes criminais, o delegado Neyvaldo Silva, diretor da DIOE, verificou que "Juca" já tem registros de passagens pela Polícia desde o ano de 1981, quando foi preso por assalto a mão armada. A extensa ficha criminal registra processos por lesão corporal, roubos, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e até envolvimento em esquema de fraudes contra aposentadorias do INSS.

Conforme o delegado, o acusado admitiu ter comprado por R$ 9 mil as joias roubadas, em novembro de 2012, durante assalto a um empresário, no bairro do Jurunas. Na época, as joias, entre pulseiras e cordão de ouro, foram levadas pelos assaltantes até "Juca do Guamá" que as comprou e já teria despachado as mesmas. Na ocasião, a Polícia Civil prendeu os dois assaltantes envolvidos no roubo que confessaram o crime e apontaram o receptador dos objetos roubados. Assim, "Juca" teve o mandado de prisão solicitado à Justiça e desde então era considerado foragido. José Amorim já foi preso pela Polícia Federal por envolvimento em fraude contra o INSS. Na ocasião, ele estava com 80 cartões magnéticos falsos.
Na ficha criminal, apurou o delegado, o preso apresenta mais de 15 processos criminais e já foi preso em flagrante pro seis vezes. Em 1981, ele foi preso por roubo qualificado. Em 1982, ele foi autuado por tráfico de drogas. Já em 1989, outro flagrante por porte ilegal de arma. No ano de 1995, pelos crimes de falsificação de documento público, falsidade ideológica, uso de documento falso e roubo. Em 1998, José foi indiciado em inquérito por lesão corporal e no mesmo ano foi preso por fraude contra a previdência social. No ano seguinte, ele foi preso em flagrante por tráfico de drogas. Em 2001, outra prisão em flagrante por tráfico de drogas. Em 2003, o acusado respondeu a processo por roubo e também por ameaças contra mulher. Três anos depois, mais um processo, desta vez, por falsidade ideológica. Em 2010, ele foi preso novamente por tráfico de drogas. Agora, em 2014, novamente preso, ele ficará recolhido à disposição da Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs