sábado, 23 de janeiro de 2016

Aos 51 anos, Paragominas está em festa

  • IMPRIMIR
Aos 51 anos, Paragominas está em festa (Foto: Júlio Momonuki)
Praça Célio Miranda, referência para que vai a Paragominas (Foto: Júlio Momonuki)
Não é apenas o nome Paragominas que traz a mistura de regiões (Pará, Goiás e Minas Gerais), no dia a dia do município, na culinária, nos diferentes sotaques de seus moradores, percebe-se um local de fácil atração. Paragominas vem traçando a sua história, há 51 anos de forma emancipada. E ao longo desse período passou por muitas mudanças, que saltam aos olhos de seus visitantes e moradores.
Mudanças que servem de exemplo para municípios de todo país. Inclusive, a história de Paragominas, com a inovação em seus processos produtivos, tem servido de base para o desenvolvimento de inúmeras outras cidades.
Hoje é dia de festa em Paragominas, município pólo do nordeste do Estado, distante 214 quilômetros de Belém.
Ter saído do status de ícone do desmatamento para um exemplar Município Verde, com aplicação real de uma pecuária sustentável, é o principal motivo de sua atual bonança. Para se ter uma ideia, há menos de dez anos (2008) Paragominas liderava a lista dos municípios que mais desmatavam. Por este motivo foi uma das primeiras a receber o projeto Municípios Verdes, do Governo Federal.
Após um período de intensas mudanças, e muitos investimentos em reflorestamento e sustentabilidade, tudo mudou. Paragominas é admirada e querida por seus visitantes e moradores, que se surpreendem com  o que encontram na cidade, em seu passado recente, batizada inclusive de "Paragobala".
"Eu amo Paragominas. É uma cidade boa de se viver. Tem boa infraestrutura, segurança, saneamento básico acima da média nacional, excelente atendimento em saúde pública", diz a empresária Nediane Almeida, que mora há cinco anos na cidade. "A cidade é limpa, o trânsito pra pedestre é bom".
Urbanização é presente em grande parte do município. Crédito: Júlio Momonuki
A região cada vez mais se destaca em razão, principalmente de seu crescimento econômico, motivado pelo agronegócio. Mas o agronegócio que não desmata e convive em harmonia com o verde. A cidade detém significativo progresso industrial e acentuada vocação agrícola e pecuária, com destaque para o crescimento da plantação de grãos.
A colonização de Paragominas data do final da década de 50, antes da construção da rodovia Belém-Brasília, no final da década de 50, seguidos pelas primeiras companhias colonizadoras. Mas antes mesmo da chegada dos camponeses, com autorização do Governo do Estado, empresários de Goiás haviam penetrado na floresta, ao longo do rio capim, com o objetivo de efetuar levantamentos e titular terras para compradores de Uberaba, em Minas Gerais, e Itumbiara, em Goiás.
Pecuária forte e cada vez mais em harmonia com o verde. Crédito: Júlio Momonuki
O município também atraiu na década de 90 e ainda no início do século XXI uma expressiva massa imigratória de sulistas, dos quais alguns eram empresários do setor de agricultura e muitos desempregados que tentavam uma vida melhor com emprego e custo de vida baixo.
Paragominas obteve sua autonomia em 1965, durante o Governo de Jarbas Gonçalves Passarinho, com a Lei nº 3.235, de 4 de janeiro, formado com área desmembrada de parte do distrito de São Domingos do Capim e parte do distrito de Camiranga, que pertencia ao Município de Viseu. Paragominas, em 10 de maio de 1988, através da Lei nº 5.450, no Governo Hélio Mota Gueiros, teve sua área desmembrada para criação do Município de Dom Eliseu, antigo povoado chamado Felinto Muller, que foi elevado à condição de distrito, passando a se chamar Dom Eliseu.
PARAGOMINAS EM NÚMEROS
População total:97.819 habitantes (2013)
População rural:21.308 habitantes (2010)
População urbana:76.511 habitantes (2010)
Número de pessoas por quilômetro quadrado:5,06 hab/km² (2010)
Área total do município em quilômetros quadrados (km²):19.285,75 km² (2013)

Os  principais pontos turísticos do município são:
LAGO VERDE
Em 2012 Paragominas ganhou aquele considerado na atualidade o cartão -postal da cidade: o Lago Verde.
Localizado nas margens da PA-125, onde a cidade surgiu no início dos anos 60, o Lago também representa um símbolo de transformação e superação, que contou com o apoio e empenho de toda a comunidade para efetivamente acontecer. Com uma área de mil metros de extensão, é um dos locais mais bonitos e procurados por moradores e visitantes.
Crédito: Júlio Momonuki
PARQUE AMBIENTAL
Localizado no bairro Promissão I, faz parte do contexto turístico, tendo sido eleito como uma das maravilhas do Pará. Além do Parque Ambiental, no mesmo espaço, o turista encontra o Memorial do Município Verde, um local aprazível e que tem uma história sensibilizadora. O Memorial do Município Verde foi inaugurado no dia 14 de dezembro de 2013. Totalmente construído com madeira apreendida pela Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente.
Parque Ambiental é um dos pontos mais importantes do turismo local. Crédito: Júlio Momonuki

(DOL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs